Clique e assine a partir de 9,90/mês

Corpos devem ser transferidos ao Brasil ainda nesta semana

Tragédia na Colômbia deixou 71 mortos, entre eles quase toda a delegação da Chapecoense; a perícia reconhecerá os corpos com ajuda de digitais e passaportes

Por Da redação - 30 nov 2016, 13h00

Uma força-tarefa do governo brasileiro desembarcou na madrugada desta quarta-feira em Medellín, na Colômbia, para ajudar nos trâmites de reconhecimento e transferência dos corpos das vítimas do desastre aéreo que matou quase toda a delegação da Chapecoense, na madrugada de terça. O embaixador do Brasil na Colômbia, Julio Bitelli, afirmou que a previsão é encerrar os trabalhos até sexta-feira.

“As autoridades colombianas estão trabalhando de forma interrupta desde o princípio. A Polícia Federal brasileira chegou com as impressões digitais dos passageiros para ajudar a agilizar o processo. A expectativa é que antes do fim de semana todos sejam removidos para suas famílias no Brasil”, afirmou o embaixador.

Bitelli também confirmou que não será necessário a vinda de familiares para ajudar no reconhecimento das vítimas, como Walter Feldman, secretário-geral da CBF, já havia alertado. “As famílias estão em uma situação muito delicada. Procuramos evitar que venham à Colômbia para evitar um esforço adicional. Como a identificação será com base nas impressões digitais e documentos, não será necessário a presença delas”, explicou.

O embaixador chegou à cidade junto com uma equipe de peritos da Polícia Federal, representantes do Ministério do Esporte e da prefeitura de Chapecó. Os peritos trouxeram materiais para ajudar na identificação dos corpos, trabalho que não deve ser muito complicado, pois segundo o embaixador, em contato com os legistas, “as vítimas estão em estado de identificação relativamente fácil”.

Continua após a publicidade

Nesta quarta-feira desembarca em Medellín o ministro de Relações Internacionais, José Serra, que vai se reunir com autoridades locais para acompanhar os trâmites burocráticos e participar de uma cerimônia no estádio Atanasio Girardot, onde seria realizado o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana entre Chapecoense e Atlético Nacional.

O time colombiano, que além de pedir à Conmebol para que o título da competição seja entregue à Chapecoense, convocou a torcida para ir ao estádio na tarde desta quarta-feira para prestar outras homenagens aos falecidos no acidente aéreo.

Continua após a publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade