Clique e assine a partir de 9,90/mês

Coronavírus faz Vince Carter, lenda da NBA, antecipar aposentadoria

Novo formato da NBA, adaptado à pandemia de coronavírus, eliminou o Atlanta Hawks, time do ala de 43 anos, recordista de participações na liga

Por Danilo Monteiro - Atualizado em 25 Jun 2020, 15h35 - Publicado em 25 Jun 2020, 15h12

O ala americano Vince Carter, de 43 anos, anunciou nesta quinta-feira 25 a sua aposentadoria da NBA. A brilhante carreira do jogador do Atlanta Hawks, conhecido por suas enterradas explosivas, foi abreviada em sua 22ª temporada – um recorde na liga – devido à pandemia de coronavírus.

O novo formato da NBA, adaptado ao protocolo sanitário das autoridades, eliminou as equipes que não tinham chances de se classificar para os playoffs. O time de Atlanta, penúltimo colocado da conferência leste, foi eliminado e Carter não terá uma chance de se despedir dos fãs dentro de quadra, como aconteceu com Dirk Nowitzki e Dwyane Wade na última temporada.

“Eu parei de jogador basquete profissional. Apesar do desapontamento por causa do rumo da temporada, foi mais fácil deixar de lado e lidar com isso. (A pandemia) é algo maior do que a minha carreira”, disse, em um podcast do Atlanta Hawks.

Oito vezes selecionado para o jogo das estrelas desde que entrou na NBA, em 1998, o ala teve seu melhor momento vestindo a camisa do Toronto Raptors, sendo o principal responsável por colocar o time canadense no mapa da NBA, mas bateu na trave em algumas oportunidades e não conquistou um título. Além de possuir recorde de temporadas em atividade, ele foi o único a atuar em quatro décadas distintas (anos 90, 2000, 2010 e início de 2020).

Continua após a publicidade

O último jogo de Carter foi contra o New York Knicks, na mesma noite em que a NBA foi paralisada pela contaminação do pivô Rudy Gobert, do Utah Jazz, às vésperas da partida contra o Oklahoma City Thunder. Vince Cartar, na ocasião, já suspeitava de que aquele poderia ter sido seu último jogo, assim como todos presentes no ginásio dos Hawks. O técnico Lloyd Pierce, então, colocou Carter nos segundos finais para fazer seu último arremesso, uma bola de três pontos certeira que foi comemorada até mesmo pelos atletas dos Knicks.

ASSINE VEJA

Acharam o Queiroz. E perto demais Leia nesta edição: como a prisão do ex-policial pode afetar o destino do governo Bolsonaro e, na cobertura sobre Covid-19, a estabilização do número de mortes no Brasil
Clique e Assine

“Converter meu último chute ajudou. Se eu tivesse errado, a situação seria um pouco diferente. Eu estaria ansioso para voltar e jogar pelo menos um minuto para fazer uma cesta. Não me importaria em como seria. Querendo ou não, você sempre quer dizer: ‘bom, pelo menos acertei o último chute da minha carreira’. Eu posso dizer isso e estou feliz”, comentou no podcast.

Vince Carter foi medalhista de ouro nas Olimpíadas de Sidney, em 2000, quando ficou conhecido por pular por cima de um marcador francês e protagonizar uma das enterradas mais espetaculares da história.

O jogador, no entanto, deixou as quadras sendo extremamente respeitado por jogadores e até mesmo torcedores adversários, que o ovacionaram desde a última temporada, quando sabiam que poderiam estar vendo Carter, o ‘metade homem, metade espetacular’, em quadra pela última vez.

Continua após a publicidade

“Nos últimos dois anos, Vince Carter foi um líder dedicado, um mentor de respeito e um exemplo dentro de quadra, no vestiário e na comunidade de Atlanta. Durante essa jornada história de 22 anos, a evolução de sua carreira talvez tenha sido como nenhuma outra. É uma honra para a nossa organização ele ter completado sua carreira, digna de hall da fama, vestindo Atlanta no peito e representando nossa cidade”, declarou o Atlanta Hawks, em nota.

Publicidade