Clique e assine a partir de 8,90/mês

Coronavírus: cancelar Olimpíada é ‘inconcebível’, diz ministra japonesa

Outros membros da organização dos Jogos de Tóquio-2020, no entanto, já falam abertamente sobre a possibilidade de adiamento

Por AFP - Atualizado em 11 mar 2020, 12h08 - Publicado em 11 mar 2020, 12h07

A ministra japonesa dos Jogos Olímpicos, Seiko Hashimoto, afirmou nesta quarta-feira, 11, que é “inconcebível” adiar ou cancelar os Jogos de Tóquio-2020, no momento em que a epidemia do novo coronavírus provoca dúvidas sobre a manutenção do evento este ano.

“Do ponto de vista dos atletas, que são os principais atores dos Jogos de Tóquio, quando se preparam para este evento que acontece uma vez a cada quatro anos (…) é inconcebível cancelar ou adiar”, afirmou a ministra no Parlamento.

Seiko Hashimoto reconheceu, porém, que o “Comitê Olímpico Internacional (COI) deve tomar a decisão final sobre os Jogos”. “Pensamos que é importante que o governo ofereça uma informação correta para que o COI possa tomar a decisão apropriada”, completou.

Por outro lado, também nesta quarta, Haruyuki Takahashi, um membro do conselho executivo do comitê organizador revelou que irá propor a possibilidade de adiar os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. Ele relatou à agência Kyodo News que apresentará a proposta durante reunião do grupo no final deste mês. “O tempo está se esgotando”, disse.

A rápida propagação do vírus Covid-19, que contaminou mais de 560 pessoas e provocou 12 mortes no Japão, criou um clima de dúvida no momento em que a preparação das Olimpíadas (previstas de 24 de julho a 9 de agosto) está na fase final.

As declarações de Hashimoto e Takahashi foram feitas depois que um integrante do Comitê Japonês de Organização dos Jogos, Haruyuki Takahashi, afirmou ao jornal americano Wall Street Journal que um adiamento de um ou dois anos dos Jogos de Tóquio era uma possibilidade.

Os organizadores mantêm a preparação do evento como estava previsto inicialmente, afirmou Hashimoto. Os comitê de Tóquio-2020 exigiu “explicações” a Takahashi. De acordo com um comunicado, ele explicou que “expressou de forma infeliz sua opinião pessoal em resposta a uma questão hipotética”.

“Como o presidente do COI, Thomas Bach, declarou recentemente, nem o COI nem o comitê de organização planejam adiar ou cancelar os Jogos Tóquio-2020. Continuamos com os preparativos para a abertura na data inicialmente prevista”, insistiu a organização.

Continua após a publicidade
Publicidade