Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Corintianos resumem momento: É o jogo mais importante da vida

Por Da Redação - Atualizado em 19 jul 2016, 13h44 - Publicado em 19 jun 2012, 22h03

No elenco do Corinthians há campeões mundiais, campeões brasileiros, campeões estaduais, campeões em outros países e até campeões da Libertadores. No entanto, não há ninguém que tenha chegado tão longe vestindo a camisa do único entre os grandes paulistas que ainda não foi campeão continental. Por isso, o pensamento é vencer o ‘jogo mais importante da vida’ e passar à final ainda inédita para a equipe do técnico Tit

Nesta terça-feira, três jogadores diferentes concederam entrevista no CT Joaquim Grava e o único pensamento compartilhado por todos foi justamente o de que não existe partida mais importante na história do clube e nem em suas histórias pessoais. Tudo será colocado em campo no Pacambu, nesta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília).

‘É o jogo mais importante da vida. Todos tivemos jogos importantes, mas a Libertadores é diferente para o Corinthians’, analisa Fábio Santos, que tem o discurso seguido pelos volantes Paulinho, que diz que ‘o jogo contra o Santos representa tudo’, e Ralf, que crava: ‘estamos perto de fazer história’.’Às vezes fica perto, às vezes fica longe, mas a dimensão é enorme de chegar à final. Tenho certeza que vamos fazer um grande jogo, vai ser grande espetáculo e vamos chegar na final. Nós jogadores temos que fazer nosso papel dentro de campo, com o incentivo da torcida, que é diferenciado. É continuar fazendo bons jogos, um bom trabalho dentro de campo’, discursa Paulinho, que marcou o gol da vitória sobre o Vasco e ainda considera esse como seu jogo mais importante.

Ralf não teve a mesma oportunidade que o companheiro para se tornar um herói corintiano, mas deseja a vaga na final e o título, para entrar na história do clube de uma vez por todas: ‘Terceiro, segundo e último é a mesma colocação. Temos que estar focados no Santos para vencer e depois chegar na final. A torcida do Corinthians é um diferencial, nos apóia do começo ao fim. Temos ótimos jogadores para decidir. Está tudo pronto’.

Publicidade

‘A gente quer que chegue o mais rápido possível para definir logo. Procuro esquecer o máximo que posso, ver filmes, ir na sala de jogos, fazer coisas não relacionadas ao futebol. Às vezes você quer dormir, mas não consegue esquecer da partida. Está perto de acontecer. Estamos perto de uma final inédita. Estamos perto de fazer história. Espero que possamos fazer um grande jogo’, diz Fabio Santos, animado com a condição da equipe corintiana.

Publicidade