Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Corintiano revela trauma com árbitros e pede brasileiro contra Peixe

José Hernando Buitrago. O torcedor e os próprios jogadores do Corinthians não conseguem ouvir o nome do árbitro colombiano sem um arrepio e a lembrança do empate sem gols diante do Emelec, na partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. ‘Traumatizado’, o lateral Fábio Santos já fez um apelo: deseja contar com arbitragem brasileira nos confrontos diante do Santos, pelas semifinais da competição continental.

No Equador, Buitrago foi condenado pelos corintianos em virtude de sete cartões amarelos aplicados para jogadores do time visitante, isso contando com os dois aplicados em Jorge Henrique, que acabou expulso. Na saída do estádio George Capwell, os jogadores já bradaram contra a arbitragem e, mesmo após a vitória por 3 a 0 na volta e a classificação suada diante do Vasco, ainda não esqueceram o ‘drama&rsquo

‘O trauma foi grande contra o Emelec, porque o juiz era muito ruim. Eu gostaria de um árbitro brasileiro, porque seria melhor para conversar com os jogadores dos dois times. Aqui no Brasil tem árbitros capacitados o suficiente para apitar esse tipo de jogo’, pontuou o lateral esquerdo do Timão, que se sentiu ‘inibido’ no Equador.

No último domingo, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, Fábio Santos foi expulso nos minutos finais da derrota contra o Atlético-MG, no estádio Independência. O ala garante que isso não se repetirá: ‘Acabei expulso por reclamação contra o Atlético-MG. Isso foge do meu perfil, porque eu sempre deixo o árbitro tranquilo para trabalhar’.’Não dá para esquecer o Santos’ – A ansiedade de Fábio Santos se reflete em todo o elenco do Corinthians, que evita, no entanto, comentar o assunto Santos dentro do CT Joaquim Grava: ‘Onde a gente menos fala disso é dentro do Corinthians, mas fora o pessoal pergunta, familiares, amigos, perguntando como está a preparação e ansiosos pelo jogo. Aqui a gente tenta conversar de outras coisas, porque o Tite falou para focar, mas não dá para esquecer o Santos’.