Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Corintiano preso em Oruro é identificado em briga

Leandro Oliveira estava na confusão com torcedores do Vasco, em Brasília

Um dos doze torcedores presos por pouco mais de cinco meses após a morte do garoto Kevin Espada, 14 anos, em Oruro, na Bolívia, foi identificado durante a briga que envolveu torcedores de Corinthians e Vasco, no domingo, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Integrante da Gaviões da Fiel, Leandro Silva de Oliveira aparece sem camisa e correndo em direção aos torcedores vascaínos durante o confronto nas arquibancadas do estádio. As imagens de TV também mostram Oliveira enfrentando a polícia militar, sendo atingido por spray de pimenta e trocando socos e pontapés com torcedores rivais.

Leia também:

Justiça libera corintianos presos em Oruro

Justiça boliviana liberta sete corintianos presos em Oruro

Conhecido como Soldado, Leandro Oliveira foi um dos primeiros a iniciar o confronto contra os vascaínos, ainda no intervalo da partida. Como não havia divisória entre as torcidas, integrantes de uma torcida organizada do Corinthians partiram para cima de um grupo de torcedores uniformizados do Vasco e iniciaram a briga. Oliveira chegou a ser contido por policiais e recuou, mas, com a chegada de mais corintianos, voltou a atacar. A confusão só foi dissipada minutos depois, quando policias interviram com cassetetes e spray de pimenta.

Leia também:

Na Bolívia, a confissão do menor corintiano não convence

Tragédia em Oruro: só mudou quem sentiu a dor da morte

Leandro Silva de Oliveira foi preso com outros onze torcedores do Corinthians em 20 de fevereiro, em Oruro, na Bolívia, após a morte do jovem Kevin Espada. O garoto boliviano assistia à partida entre o time brasileiro e o San José, pela primeira fase da Copa Libertadores, e foi atingido por um sinalizador lançado das arquibancadas em que estavam os corintianos. Oliveira saiu da prisão em 2 de agosto, junto com outros quatro torcedores, por falta de provas.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Um mês antes, pelo mesmo motivo, os outro sete corintianos foram liberados. Soldado não foi o único entre os doze presos em Oruro que esteve domingo no Mané Garrincha. Hugo Nonato, conhecido como São Luiz, também assistiu ao jogo em Brasília. Não é possível, entretanto, identificá-lo nas imagens da briga.

(Com agência Gazeta Press)