Clique e assine a partir de 9,90/mês

Corinthians vence o Grêmio e fica perto da Libertadores

Com o resultado, tem cinco pontos a mais que o Atlético-MG e seis do Grêmio

Por Da Redação - 23 nov 2014, 21h14

Foi do jeito que o corintiano gosta e está acostumado: bem sofrido. Com um gol do peruano Guerrero, aos 37 minutos do segundo tempo, o Corinthians derrotou o Grêmio por 1 a 0, neste domingo, no Itaquerão, em São Paulo, pela 36.ª rodada do Campeonato Brasileiro, e ficou bem perto da classificação à próxima edição da Copa Libertadores.

O resultado manteve o Corinthians na terceira colocação, agora com 66 pontos. Tem cinco a mais que o Atlético-MG, o quinto colocado, e seis para o Grêmio, que ficou em sexto. Uma vitória ou até mesmo um empate com o Fluminense, no Rio, no próximo domingo, garantirá o time alvinegro na competição continental. Já o clube gaúcho precisa vencer os dois jogos que restam – Bahia (fora) e Flamengo (casa) – e torcer contra os rivais acima na tabela de classificação.

Leia também: Cruzeiro vence em casa e garante a taça

A apresentação corintiana contra o Grêmio foi um resumo das atuações do time ao longo da temporada. A equipe oscila momentos empolgantes, como no primeiro tempo, com apagões semelhantes ao vivido na fatídica eliminação da Copa do Brasil. Neste domingo, as falhas vieram no segundo tempo, tanto pela evolução do Grêmio, como pela ausência de participação dos meias.

Continua após a publicidade

O Corinthians entrou em campo bastante decidido a definir logo o placar. Já no primeiro minuto, Renato Augusto deu o primeiro chute a gol e abriu a blitze contra Marcelo Grohe. Só na etapa inicial foram seis chances claras, incluindo ainda boas defesas do goleiro e um chute na trave dado por Guerrero.

Aliás, a volta do peruano depois de dois jogos longe foi o grande combustível para o ânimo inicial do Corinthians. O atacante levantou a torcida quando teve o nome anunciado antes do jogo e a boa fase dele parece ser transmitida aos companheiros do setor ofensivo. Até jogadores de temporada irregular, como Renato Augusto, tiveram uma noite destacada.

A retranca do Grêmio, armado no 4-5-1, não surtia efeito. Barcos era o único atacante e mal recebia bola, enquanto que a defesa passava sufoco pelas laterais. Guerrero abria espaços e caía pela esquerda, onde Fábio Santos chegava com perigo. Do outro lado do campo, Malcom, de 17 anos, apostava na correria contra o veterano lateral-esquerdo Zé Roberto, de 40.

A pressão sem resultar na abertura do placar acabou por esfriar o time nos minutos finais do primeiro tempo e deu chance para o Grêmio se organizar melhor no intervalo. A equipe gaúcha colocou Giuliano para ter mais criação no meio de campo e o jogo mudou. Cássio começou a trabalhar, o Corinthians passou a ter menos posse de bola e a jogar no contra-ataque.

Continua após a publicidade

Depois de alguns minutos de sufoco, o Corinthians reagiu nos gritos da torcida. O anúncio dos gols sofridos pelo Palmeiras na derrota em Curitiba pareceu ecoar no gramado e as entradas do sempre decisivo Danilo e também de Jadson ajudaram a equipe a colocar os nervos no lugar.

O gol veio quando o torcedor já sofria com mais um empate sem gols para a coleção do Corinthians. A euforia pela abertura do placar, em um chute mascado de Guerrero que entrou devagar na meta, levou alguns torcedores a acenderem sinalizadores. O jogo foi interrompido por alguns instantes por causa da fumaça, enquanto que a polícia se dirigiu à arquibancada para encontrar os infratores, que foram retirados à força, para delírio dos 36 mil torcedores presentes.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade