Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Corinthians vence o Atlético-PR e mantém vantagem na reta final

Paulistas garantem a vitória em casa e a manutenção da liderança na rodada

Por Da Redação 13 nov 2011, 17h58

Com um primeiro tempo impecável e um segundo instável, o Corinthians venceu o Atlético-PR por 2 a 1 na tarde deste domingo, no Pacaembu, e manteve a liderança do Campeonato Brasileiro. O volante Paulinho e o atacante Emerson marcaram os gols que deram tranquilidade à equipe dirigida por Tite antes de cinco minutos de jogo. O veterano Paulo Baier descontou para os visitantes.

O resultado deixou o Corinthians com 61 pontos ganhos. O concorrente Vasco alcançou o mesmo número de pontos ao ganhar o clássico com o Botafogo, no Engenhão. Nesta rodada, os dois postulantes ao título nacional já comemoraram as derrotas de Fluminense (56 pontos) e Flamengo (55). Na seguinte, quarta-feira, o líder visitará o Ceará no Estádio Presidente Vargas.

Já o Atlético-PR está em situação bastante delicada na tabela de classificação. Com 34 pontos, é o antepenúltimo colocado e ficou mais próximo da Série B do Campeonato Brasileiro de 2012. Na quarta-feira, enfrentará outro grande clube paulista: o São Paulo, na Arena da Baixada.

O jogo – A torcida do Corinthians cantava minutos antes de o jogo começar: ‘Vamos jogar com raça e com o coração…’. Nem precisava pedir. A equipe comandada por Tite entrou em campo com uma disposição completamente oposta àquela da derrota para o América-MG, na rodada passada. Com bastante velocidade e ímpeto ofensivo, não demorou a ficar em vantagem no placar.

Logo aos dois minutos, Willian fez bela jogada pela direita e levantou a torcida antes mesmo de passar a bola para Liedson. O centroavante fez o pivô e rolou para Paulinho, que chutou no contrapé do goleiro Renan Rocha para abrir a contagem. O Corinthians não diminuiu o ritmo. Aos quatro minutos, na ponta esquerda, Emerson recebeu de Danilo, carregou até o limite da grande área e bateu firme para estufar a rede outra vez.

Os dois gols em menos de cinco minutos deixaram o Atlético-PR completamente desnorteado. Com o pior desempenho do Campeonato Brasileiro como visitante, o time de Antônio Lopes ficou acuado, sofrendo com sucessivos erros de Heracles e de outros defensores. O veterano Paulo Baier e o meia Marcinho tentavam orientar seus companheiros com berros. Em vão. O goleiro Julio Cesar se tornou um observador passivo da partida.

Continua após a publicidade

Pelo Corinthians, a euforia da torcida não permitiu que o time se acomodasse no primeiro tempo. Os donos da casa contavam com um Emerson inspirado, um Fábio Santos disposto a atacar pelo lado esquerdo do campo e uma série de cobranças de falta na área para não dar paz a Renan Rocha. Para aumentar a empolgação, o locutor do Pacaembu anunciava resultados adversos de rivais e concorrentes que também jogavam na rodada.

No final da etapa inicial, contudo, Tite começou a se preocupar com o excesso de satisfação de seus atletas. O Atlético-PR estava irritado. Guerrón chegou a empurrar Leandro Castán na lateral do campo, para reiniciar o jogo rapidamente. Emerson, ao seu estilo, respondeu ao afastar de bicicleta uma bola da área do Corinthians. Em seguida, já no intervalo, o Sheik foi prudente e lembrou que ainda restavam pelo menos outros 45 minutos para sacramentar a vitória.

Na tentativa de ter maior poderio ofensivo e justificar a cautela de Emerson, o Atlético-PR voltou para o segundo tempo com Nieto no lugar de Adaílton. Surtiu efeito. Em sua primeira participação no confronto, o atacante argentino ganhou jogada pela direita e cruzou rasteiro para Paulo Baier, que parou em ótima defesa de Julio Cesar no primeiro chute. No rebote, o veterano descontou para a sua equipe.

Se ficou acuado quando foi vazado no primeiro tempo, o Atlético-PR se soltou com o gol a seu favor. O time de Antônio Lopes se tornou perigoso sob a liderança de Nieto. Aos 12, o argentino arriscou um chute forte de longa distância. A bola acertou o travessão e tocou na linha do gol, sem entrar, para alívio dos torcedores corintianos. Foi o suficiente para começar a ecoar timidamente o coro por um astro, que estava na reserva: ‘É Adriano! É Adriano! É Adriano!’.

Tite preferiu colocar primeiro o meia Morais na vaga de Liedson – e foi vaiado. Como o Atlético-PR continuou melhor em campo (Paulo Baier chegou a acertar a trave), Adriano foi realmente o próximo a entrar, no lugar de Willian. O centroavante tentou ser participativo e pediu constantemente para receber a bola nos pouco mais de dez minutos em que jogou. Não conseguiu marcar seu primeiro gol como corintiano, porém comemorou mais uma vitória no Pacaembu.

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade