Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Corinthians vence a Chapecoense fora de casa e alcança o Palmeiras

Foi a quarta vitória consecutiva do Corinthians na competição

A disputa pela liderança do Campeonato Brasileiro se transformou em um clássico à parte entre Corinthians e Palmeiras. O time Alvinegro venceu mais um jogo neste sábado e voltou a empatar em pontos (28) com o rival. O resultado que o Corinthians conquistou contra a Chapecoense por 2 a 0, na Arena Condá, em Chapecó (SC), joga a pressão para o Palmeiras, que tem um jogo a menos, mas enfrenta o Santos, nesta terça-feira, em casa, encerrando a 14.ª rodada. Foi a quarta vitória consecutiva do Corinthians na competição, a quarta do técnico Cristóvão Borges em seis jogos à frente da equipe. É uma série que dá tranquilidade e confiança para o substituto de Tite, agora na seleção brasileira.

O futebol ainda não é de um time que briga por título, mas com Cristóvão Borges o Corinthians ainda continua um time seguro e objetivo. E não vê problema em abusar dos cruzamentos na área (essa é uma grande diferença da época de Tite). Contudo, a equipe alvinegra precisa mostrar mais regularidade durante os 90 minutos e não só no segundo tempo. O caminho mais lógico de se chegar ao gol, sem contar com lances de sorte ou jogadas individuais, é pressionar o adversário, adiantando a sua marcação. O Corinthians, a rigor, só fez isso no segundo tempo. Porque na etapa inicial o time errou mais do que criou.

Nos primeiros 45 minutos, a equipe de Cristóvão Borges só chegou perto do gol nos acréscimos. O primeiro chute que levou perigo ao goleiro Marcelo Boeck aconteceu aos 46 minutos, quando Luciano arriscou de fora da área. É muito pouco para um time que briga pela liderança do campeonato. No segundo tempo, a postura mudou. Como havia acontecido na partida contra o Flamengo, no domingo passado, o Corinthians melhorou depois do intervalo. Foi mais objetivo, trocou mais passes e empurrou a Chapecoense contra seu gol.

O placar só não foi aberto logo aos dois minutos devido a um erro grosseiro da arbitragem. Uendel cobrou uma falta pelo lado do esquerdo do ataque, o zagueiro paraguaio Balbuena ganhou da defesa e cabeceou para o fundo da rede. Luciano, que não participou do lance, estava impedido e o trio de árbitros, comandado pelo mineiro Ricardo Marques Ribeiro, anulou o gol. Mas demorou pouco mais de 10 minutos para o Corinthians, de fato, fazer 1 a 0. Após boa troca de passes com Giovanni Augusto, Rodriguinho ganhou da marcação e acertou um chute colocado, tirando Marcelo Boeck da jogada. À essa altura, o Corinthians era superior em campo e Cássio já não trabalhava tanto como no primeiro tempo. Guilherme quase ampliou o placar em seu primeiro lance. Aos 47 minutos, Marquinhos Gabriel não desperdiçou um contra-ataque e bateu por cima do goleiro, fechando a vitória na Arena Condá.

Coritiba 0 x 0 Botafogo – Pela terceira vez nas últimas quatro partidas do Campeonato Brasileiro, o Coritiba empatou sem gols, desta vez diante do Botafogo, no estádio Couto Pereira, em um duelo direto contra a zona de rebaixamento. Com o resultado, o Coxa chegou aos 15 pontos, provisoriamente fora da zona da degola. Os cariocas, com 16 pontos, estão na 14ª colocação. Na próxima rodada, o Coritiba enfrenta o Atlético Mineiro, na outra segunda-feira, dia 18 de julho, no Estádio Independência, em Belo Horizonte. Já o Botafogo entra em campo no sábado, diante do Flamengo, no clássico que será disputado no estádio Luso Brasileiro, no Rio de Janeiro.

Ponte Preta 2 x 1 Sport – A Ponte Preta entrou no G4 do Campeonato Brasileiro na noite deste sábado. De virada, o time campineiro ganhou do Sport por 2 a 1 no Estádio Moisés Lucarelli e terá a oportunidade de dormir no seleto grupo que reúne os quatro primeiros colocados do torneio nacional. Com 23 pontos ganhos em 14 rodadas, a Ponte Preta passa a fechar o G4. O Santos, que tem 22 pontos, enfrenta o líder Palmeiras apenas na noite da próxima terça-feira. Já o Sport, ameaçado pelo rebaixamento, tem 12 pontos e figura na antepenúltima colocação.

(Com Estadão Conteúdo e Gazeta Press)