Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Corinthians vai ‘lavar roupa suja em casa’ para sair da crise

Elenco, comissão técnica e diretoria participam de reunião no CT nesta segunda

“Vamos bater um papo para identificar o problema. No próximo jogo, o torcedor vai ver o Corinthians com a cara de sempre”, prometeu Sheik

A sequência de oito jogos sem vitória do Corinthians motivou a gerência de futebol do clube a marcar uma reunião envolvendo jogadores, comissão técnica e diretoria nesta segunda-feira, no CT da equipe, em São Paulo. A sessão de “lavagem de roupa suja” tem o objetivo de discutir saídas para o time, que sofreu uma surpreendente goleada no domingo, em Campo Grande: 4 a 0 para a Portuguesa. O atual campeão mundial de clubes promete manter o técnico Tite, que não participou da entrevista coletiva depois do jogo. Em seu lugar apareceram dois dos líderes do elenco, Alessandro e Emerson Sheik – um sinal claro de que os atletas estão dispostos a assumir a responsabilidade para que Tite não seja o bode expiatório da crise.

Leia também:

Leia também: Corinthians perde de 4 a 0 para Portuguesa e cai para 13º

O anúncio da reunião desta segunda foi feito pelo próprio Sheik, que disse ainda que o elenco pediu a Tite para que não falasse à imprensa, uma forma de evitar que fosse exposto às perguntas sobre sua possível demissão. “Vamos bater um papo para identificar o problema. No próximo jogo, o torcedor vai ver o Corinthians com a cara de sempre, do que jeito que eles estão acostumados, o Corinthians campeão”, prometeu o atacante, um dos mais vaiados pela torcida nos últimos jogos. Uma primeira conversa, de quase uma hora, aconteceu já nos vestiários, depois da partida de domingo. O gerente Edu Gaspar, que estava no local, garantiu que em nenhum momento se falou na saída do técnico. “Reitero a total confiança no seu trabalho”, avisou o dirigente.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Gaspar se disse otimista em relação a uma possível virada do grupo para salvar a temporada. “Eles sabem que podem mudar. Foram eles que se colocaram à disposição de vir assumir a responsabilidade. Isso mostra comprometimento e vontade de querer melhorar o quanto antes”, explicou. No encontro desta segunda, o gerente espera que todos façam uma autocrítica rigorosa para que os problemas sejam identificados o quanto antes. A equipe está em 13º lugar no Brasileirão, a dez pontos da zona de classificação para a Libertadores e a seis da faixa de rebaixamento. O próximo compromisso é contra o Bahia, na quarta, no interior de São Paulo. A última vitória aconteceu no início do mês, contra o Flamengo.

(Com agência Gazeta Press e Estadão Conteúdo)