Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Corinthians tenta acabar com a hegemonia do Santos

Por Da Redação 19 Maio 2013, 09h37

O Santos terá dois sentimentos distintos ao entrar no gramado da Vila Belmiro neste domingo, às 16 horas, para enfrentar o Corinthians no segundo jogo da final do Campeonato Paulista: o de alegria por chegar a mais uma decisão de título e o de perda pela iminente saída de Neymar para o futebol espanhol. Já o rival, que joga pelo empate para ser campeão, mira o título para definitivamente apagar da memória a eliminação na Copa Libertadores e iniciar o Campeonato Brasileiro, daqui a uma semana, com o moral alto.

Qual deles sairá vencedor é uma pergunta difícil de responder porque a vantagem do Corinthians é pequena, segundo o técnico Tite – vai fazer falta aquele caminhão de gols perdidos no estádio do Pacaembu. Uma vitória do Santos por diferença de um gol leva a decisão para os pênaltis.

O Santos busca o tetracampeonato paulista, feito só alcançado pelo Paulistano, ainda na era amadora do futebol de São Paulo. O Corinthians vai confirmar a sua supremacia no Estado se alcançar o 27.º título.

“Esta é a minha quinta decisão pelo Santos em pouco mais de dois anos e, para mim, é importante porque o treinador vive de títulos. Nosso grupo foi renovado por causa da saída de muitos jogadores, mas deu certo, tanto assim que estamos na decisão de mais uma competição”, disse o técnico Muricy Ramalho. “É um título que ainda não conquistei, é um clássico contra o Santos, essa é minha motivação. E obrigação porque defendemos um clube grande, que entra em todas as competições para ser campeão”, afirmou Tite.

Muricy Ramalho mexeu com o grupo para fazê-lo esquecer a saída de Neymar – nos treinos, havia uma ponta de tristeza no ar muito porque, ao que tudo indica, esta será a última decisão do atacante pelo Santos. Por isso, o técnico se desdobrou nos últimos dias para que os jogadores entrassem no clima da decisão.

Continua após a publicidade

O comandante santista fechou treinos para ensaiar jogadas e corrigir defeitos que observou na derrota por 2 a 1 no primeiro jogo da final, no domingo passado. Ele chega ao dia da decisão com o seu habitual suspense sobre a escalação do time, embora tenha pouco a esconder. “O time será quase o mesmo do segundo tempo do primeiro jogo contra o Corinthians. Só muda alguma coisa em caso de uma agradável surpresa com o Montillo”.

Diante da necessidade de vencer, Muricy Ramalho vai escalar o time no esquema 4-3-3, bem diferente da formação que começou a partida do domingo passado, com três volantes. Felipe Anderson vai fazer dobradinha com Bruno Peres pela direita, Neymar voltará a jogar como gosta, pela esquerda, e André será a referência, jogando perto da área para fazer a “parede” para quem chegar de trás para finalizar.

Segundo Muricy, a queda do Corinthians nas oitavas de final da Libertadores, diante do Boca Juniors, no Pacaembu, não vai ajudar em nada o Santos. Quanto ao lado psicológico do adversário, “os jogadores vão querer reagir rapidamente”.

Tite e a diretoria corintiana também trataram de injetar ânimo num elenco cabisbaixo depois da queda na competição continental. A promessa é de um Corinthians como o do primeiro jogo, buscando o gol, apesar de jogar pelo empate. O time é o mesmo, com Emerson, Guerrero e Romarinho. Danilo vai continuar na armação, jogando pela faixa central. O lado direito terá mais proteção porque Tite sabe que Neymar vai jogar naquele setor.

(Com agência Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade