Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Corinthians reúne ídolos e apresenta o Itaquerão à torcida

Cerca de 20.000 pessoas compareceram à inauguração da arena, que receberá a abertura da Copa do Mundo. Rivellino, de pênalti, fez o primeiro gol do estádio

Por Luiz Felipe Castro - 10 maio 2014, 13h05

Quando o jogo começou, a euforia tomou conta dos corintianos. Se no campo tudo foi festa, porém, do lado de fora operários ainda trabalhavam pesado no local

A torcida do segundo clube mais popular do país cumpriu na manhã deste sábado o antigo sonho de ver seu próprio estádio inaugurado. Em uma bonita festa para cerca de 20.000 torcedores, o Corinthians homenageou mais de cem ex-jogadores com várias partidas de curta duração no Itaquerão. Ídolos como Marcelinho Carioca, Basílio, Wladimir e Roberto Rivellino estiveram no gramado que receberá a abertura da Copa do Mundo, em 12 de junho, na partida entre Brasil e Croácia. Coube ao eterno ídolo Roberto Rivellino a honra de marcar o primeiro gol da festa.

Assim como as obras, o jogo começou com atraso – marcado para as 10 horas, o evento só teve início 52 minutos depois. Antes de a bola rolar, o presidente do clube, Mário Gobbi, e seu antecessor, Andrés Sánchez, fizeram seus discursos em climas distintos. Responsável pela condução da obra, Sánchez foi muito aplaudido. Gobbi, por sua vez, recebeu vaias da principal torcida organizada do clube, mas não se abalou. “Aqui cada um pode se manifestar do jeito que quiser. Como é bonita a democracia. Sejam bem-vindos”, disse, sem perder a pose.

Leia também:

Publicidade

Atraso em obra mantém vivo sonho de ver 1º jogo da Copa

Valcke afirma que a estrutura dos estádios não é a desejada

Corinthians confirma jogo festivo para 20 mil no Itaquerão

Valcke: Itaquerão ficará pronto no último minuto, sem teste

Publicidade

Operários disputam a primeira partida do Itaquerão em SP

Quando o jogo começou, a euforia tomou conta dos corintianos. De pênalti, Rivellino deslocou Ronaldo Giovanelli e recebeu o carinho da torcida. Em seguida, entraram novas equipes de veteranos – Marcelinho Carioca foi o mais aplaudido e brindou os fãs com lançamentos longos e um gol de falta, como nos velhos tempos de Pacaembu. Entre os jogadores do atual elenco, Elias e Jadson participaram da festa, pois não poderão enfrentar o São Paulo no clássico de domingo. Elias celebrou o retorno ao clube marcando o terceiro gol do dia. Ao longo da celebração, vários outros ex-jogadores do clube balançaram as redes.

Se no campo tudo foi festa, do lado de fora operários ainda trabalhavam pesado na finalização das obras. Muitas cadeiras numeradas ainda precisam ser instaladas, além de diversos trabalhos de acabamento que ainda terão de ser concluídos. Este foi o terceiro evento-teste realizado no Itaquerão – mas é razoável dizer que, na prática, foi o primeiro, já que os outros não serviram para avaliar quase nada. No início do mês, crianças ocuparam as arquibancadas num teste praticamente inócuo. Na última quinta, operários da Odebrecht, construtora responsável pela obra, estrearam o gramado em uma festa fechada. No próximo dia 18, o Corinthians inaugura oficialmente o Itaquerão, em partida contra o Figueirense, pelo Brasileirão, em evento-teste já com esquema de Copa do Mundo.

Publicidade