Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Corinthians perde para o Figueirense na inauguração do Itaquerão

Primeiro teste para a Copa é marcado por decepção da torcida corintiana

Por Luiz Felipe Castro 18 Maio 2014, 18h26

A inauguração oficial do Itaquerão não foi exatamente como o torcedor corintiano esperava. Os cerca de 36 mil torcedores que foram conhecer a nova casa levaram muita chuva e viram o Corinthians ser derrotado por 1 a 0 pelo Figueirense, em jogo válido pela quinta rodada do Brasileirão, na tarde deste domingo. O meia Giovanni Augusto, do time catarinense, marcou o aguardado primeiro gol oficial do estádio que irá receber a abertura da Copa do Mundo, em 12 de junho, na partida entre Brasil e Croácia. A apenas 24 dias do evento, o Itaquerão apresentou problemas durante o primeiro e único evento-teste para a Copa, vistoriado pela Fifa e pelo Comitê Organizador Local. A rede de internet permaneceu instável durante toda a partida e dificultou o trabalho da imprensa. As arquibancadas móveis não foram abertas e só serão “testadas” no primeiro jogo do Mndial.

A qualidade do jogo não ficou à altura da ocasião. Apesar da euforia da torcida, que não se intimidou com a forte chuva, o Corinthians criou poucas chances de gol. Na primeira etapa, o lance de maior destaque foi um pênalti reclamado pelo peruano Paolo Guerrero, mas ignorado pelo árbitro. Na segunda etapa, o jogo melhorou, mas foi o Figueirense quem inaugurou o placar do estádio. Logo aos dois minutos, Giovanni Augusto recebeu na área e bateu forte e cruzado, sem chances para Cássio. O time catarinense por pouco não aumentou o estrago quando Everton Santos empurrou para as redes – o jogador estava impedido e o gol foi anulado. O Corinthians, então, foi em busca da reação e levou perigo em chutes longos de Renato Augusto e Guilherme, barrados pelo goleiro Tiago Volpi. Perto do fim, Guerrero teve ótima chance para empatar, mas errou a bola e foi vaiado pela furada. A primeira derrota no Brasileirão manteve o Corinthians com 8 pontos, ainda próximo do grupo dos quatro melhores. O Figueirense, por sua vez, chegou a seus primeiros três pontos na tabela e deixou a última colocação.

Problemas – Não houve melhoras de infraestrutura consideráveis em relação ao último evento teste – uma festa com ex-jogadores, na qual o ídolo Roberto Rivellino marcou o primeiro gol do estádio. Desta vez, o clube disponibilizou rede de internet, mas o sinal foi muito instável. Devido a uma forte corrente de vento, todos os torcedores e boa parte dos jornalistas ficaram molhados com a chuva, apesar da cobertura do estádio. No momento do hino nacional, o sistema de som do estádio apresentou ruídos. Os telões, que na Copa do Mundo devem transmitir as partidas completas (sem replays), funcionaram em apenas alguns momentos.

Leia também:

Em dia de jogo, ônibus irão de Guarulhos ao Itaquerão

Continua após a publicidade

Os 23 de Felipão, um Brasil que sabe vencer

Especial Copa do Mundo Brasil 2014

Boa parte dos 89 camarotes da arena ainda não está concluída, bem como um grande setor das arquibancadas superiores do prédio oeste, que ainda está sem cadeiras instaladas. As arquibancadas provisórias, localizadas atrás de cada gol, também não foram finalizadas. O setor que elevará a capacidade do estádio de 48 mil para 67,8 mil espectadores durante a Copa será usado pela primeira vez justamente na abertura da Copa. Em resumo: na estreia oficial, o Itaquerão esteve longe do prometido “padrão Fifa” exigido para o Mundial. De impecável, apenas a qualidade do gramado e a festa da torcida – amplificada pela arquitetura do estádio, planejado para ter uma acústica perfeita. O sistema de iluminação do estádio também surpreendeu, assim como o luxo dos banheiros (cobertos de mármore) e os confortáveis assentos.

Transporte – Os torcedores que não seguiram as recomendações da prefeitura e do Comitê Organizador Local (COL) para chegar ao estádio com transporte público certamente se arrependeram. Horas antes de a partida começar, a avenida Radial Leste estava completamente congestionada. Muita gente optou por estacionar o carro longe da arena e fazer longas caminhadas até o estádio. A sinalização para o Itaquera Stadium – como está escrito nas placas – também era pequena e confusa. Uma corrida de táxi da região de Pinheiros até o estádio custou pouco mais de 150 reais e demorou cerca de uma hora.

As linhas de trem e metrô da CPTM, no entanto, funcionaram de forma plenamente satisfatória. Foi testado com sucesso o Expresso da Copa, uma linha que vai diretamente da estação de trem Luz até Corinthians-Itaquera, em cerca de 20 minutos. O acesso pelas linhas convencionais de metrô também foram elogiadas por torcedores. Não haverá mais partidas no estádio até a abertura da Copa do Mundo. O Itaquerão custou 1,15 bilhão de reais – inicialmente, foi orçado em 820 milhões de reais.

Continua após a publicidade
Publicidade