Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Corinthians pega Nacional tentando fazer do Pacaembu seu alçapão

O Pacaembu estará lotado de corintianos na noite desta quarta-feira, quando o Timão recebe o paraguaio Nacional em seu primeiro desafio como mandante na Copa Libertadores de 2012, às 22 horas (de Brasília). A missão dos jogadores é transformar o Estádio Municipal em uma poderosa arma na busca pelo título inédito na competição continental.

O local é exaltado pela diretoria alvinegra desde que o Morumbi, casa do rival São Paulo, foi descartado por Andrés Sanchez, em 2009. O mando de campo realmente costuma ser um dos pontos fortes da equipe, mas não surtiu tanto efeito assim na Libertadores. Em 2010, o time de Mano Menezes até venceu o Flamengo, mas os 2 a 1 não foram suficientes para descontar o revés por 1 a 0 no jogo de ida pelas oitavas de final, no Rio. No ano passado, a situação foi ainda pior: empate sem gols diante do modesto Tolima, da Colômbia, que venceu por 2 a 0 na volta e eliminou o Timão ainda na fase preliminar do torneio.Tite espera ter a Fiel como grande aliada enquanto a bola rolar. Para isso, já avisa que será necessário exercitar a paciência diante da provável dificuldade de furar a retranca adversária. ‘O torcedor corintiano tem sua forma de empurrar a equipe e torná-la vibrante. Que ele entenda que vai ser um jogo de paciência e que, se um passe acontecer para o lado, não é porque não queremos agredir, é para mexer com a marcação’, solicitou o chefe.

Vindo de um valorizado empate por 1 a 1 com o Deportivo Táchira, na Venezuela, o Corinthians encara uma vitória diante dos paraguaios como obrigação. A ideia é não deixar o mexicano Cruz Azul, que já soma seis pontos, disparar na liderança do Grupo 6.

Mas Tite, embora constantemente tenha preservado jogadores no Paulistão para ter todo o grupo disponível nos jogos pela Libertadores, precisou solucionar problemas para escalar o time. O maior deles está na lateral direita: tanto o titular Alessandro quanto o reserva Welder sofrem com lesões musculares, o que obriga o volante Edenílson a atuar improvisado. Já o atacante Emerson Sheik, que está recuperado de pubalgia e teoricamente é titular do time, só tem condições de atuar por 45 minutos e ficará no banco de reservas. Danilo, Alex, Jorge Henrique e Liedson vão compor o setor ofensivo – Adriano, fora de forma, sequer foi relacionado.

Outro grande fator de preocupação é a defesa. Dos quatro zagueiros inscritos no torneio, apenas os titulares Chicão e Leandro Castán estão aptos. Paulo André ainda se recupera de cirurgia no joelho, enquanto Wallace vai operar o tornozelo e ficará afastado por até quatro meses.

Do outro lado, estará uma equipe que não sofre com lesões ou suspensões, mas que ainda não conseguiu se afirmar na temporada. O Nacional, derrotado por 2 a 1 pelo Olímpia na rodada mais recente do Campeonato Paraguaio, ocupa a quinta posição na liga nacional após cinco partidas disputadas – três vitórias e duas derrotas. Na Libertadores, o início foi decepcionante: derrota em casa para o Cruz Azul, por 2 a 1.

A comissão técnica do Corinthians analisou os últimos sete compromissos do oponente e percebeu que a maior fonte de perigo fala português: o atacante brasileiro Rodrigo Teixeira é apontado por Tite como destaque do clube paraguaio, assim como o lateral direito Mazacotte.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS X NACIONAL-PAR

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)

Data: 6 de março de 2012, quarta-feira

Horário: 22 horas (de Brasília)

Árbitro: Enrique Osses (Chile)

Assistentes:Carlos Astroza e Juan Maturana

CORINTHIANS: Julio Cesar; Edenílson, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Danilo e Alex; Jorge Henrique e Liedson

Técnico: Tite

NACIONAL: Ignacio Don; Mazacotte, Miranda, Caniza e Mendoza; Peralta, Riveros, Villarreal e Cáceres; Bogado e Rodrigo Teixeira

Técnico: Javier Torrente