Clique e assine com até 92% de desconto

Coreias empatam em jogo histórico, sem torcida e sem TV

Presidente da Fifa foi um dos poucos espectadores do primeiro encontro entre as seleções masculinas em Pyongyang

Por AFP Atualizado em 30 jul 2020, 19h37 - Publicado em 15 out 2019, 17h17

As Coreias do Norte e do Sul empataram em 0 a 0 em um histórico, porém surreal jogo das Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar-2022, disputado em Pyongyang, diante do presidente da Fifa, Gianni Infantino, mas sem torcida e sem transmissão da televisão.

No estádio Kim Il Sung não havia nem torcedores nem jornalistas estrangeiros e apenas poucas imagens e informações sobre o duelo foram divulgadas. Foi a primeira partida oficial entre as Coreias em um torneio masculino em solo norte-coreano.

Os dois países ainda estão tecnicamente em guerra, pois a Guerra da Coreia terminou em 1953 com um armistício, um acordo formal no qual as partes envolvidas concordam em parar de lutar, o que é diferente de um tratado de paz.

Os torcedores da Coreia do Sul terão de esperar vários dias para poder, talvez, assistir a lances do empate sem gols. “A Coreia do Norte prometeu dar a nossa delegação antes de ir embora um DVD com todas as imagens do jogo”, anunciou em um comunicado o Ministério sul-coreano da Unificação, responsável pela diplomacia entre as duas Coreias.

  • A imprensa esportiva local deu poucos detalhes, como o fato de a Coreia do Sul ter feito suas três substituições, uma a mais que o time anfitrião. As duas seleções receberam dois cartões amarelos cada.

    Fotos divulgadas pela Federação Sul-Coreana (KFA) mostram a bandeira do país tremulando no estádio vizinho. Entre os raros espectadores, estava o presidente da Fifa Gianni Infantino, que chegou no mesmo dia a Pyongyang.

    Continua após a publicidade

    “É um grande prazer estar aqui”, afirmou ele em sua chegada ao aeroporto, onde foi recebido pelo presidente da Federação Norte-Coreana, Kim Jang San. A seleção sul-coreana desembarcou na segunda-feira, acompanhada apenas por seu treinador, o português Paulo Bento, pela comissão técnica e dirigentes.

    Antes de voar para Pyongyang, os sul-coreanos tiveram de deixar seus celulares na embaixada de seu país em Pequim, na China. A coletiva de imprensa de Paulo Bento na véspera da partida no estádio Kim Il Sung, ocorreu com a presença de cinco jornalistas norte-coreanos e de dois membros da KFA.

    Estes últimos tiveram de voltar ao hotel onde se hospedaram para se conectar à internet e poder enviar um resumo do jogo a sua federação.

    Tensão nuclear

    A partida ocorreu em meio a um aumento dos testes de mísseis por parte da Coreia do Norte, que além disso se levantou no início do mês da mesa de negociações com os Estados Unidos na Suécia. Pyongyang descarta no momento que as conversas sejam retomadas.

    Ficou mais distante o entusiasmo de 2018, quando o presidente sul-coreano Moon Jae-in aproveitou os Jogos Olímpicos de Inverno de Pyeongchang para romper o gelo e se reunir em três ocasiões com o líder norte-coreano Kim Jong Un.

    Durante décadas, a Coreia do Norte se recusou a sediar partidas internacionais com a vizinha, optando por transferi-las para a China.

    O primeiro foi um amistoso em 1990 com o objetivo de promover a reunificação. As duas equipes carregaram na ocasião uma mesma bandeira, na qual figurava a silhueta da península. A primeira partida de competição na Coreia do Norte aconteceu em 2017, entre as seleções femininas.

    Continua após a publicidade
    Publicidade