Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Copa terá 1% de ingressos para pessoas com deficiência

Por Da Redação
28 mar 2012, 16h12

Por Eduardo Bresciani

Brasília – A Lei Geral da Copa vai prever a reserva de pelo menos 1% dos ingressos da Copa do Mundo de 2014 para pessoas com deficiência. A proposta foi acatada pelo relator, Vicente Cândido (PT-SP), durante uma negociação com líderes da base governista. Outras mudanças ainda serão feitas ao longo do dia e a expectativa é de votação do projeto ainda nesta quarta-feira.

A Fifa já tinha anunciado que cederia ingressos gratuitamente para deficientes físicos. No texto da Lei Geral da Copa, porém, falava-se apenas que um acordo posterior disciplinaria o tema. Acatando à pressão de diversos parlamentares, Vicente Cândido concordou em explicitar uma reserva de bilhetes. “Vamos acatar e colocar que pelo menos 1% dos ingressos devem ser cedidos aos deficientes”, disse o relator.

Outra mudança é que será explicitada que a chamada área de restrição, onde a Fifa tem exclusividade para a venda de produtos de seus parceiros, terá uma área de no máximo dois quilômetros ao redor dos estádios. O texto da Lei da Copa permitirá que quem já estiver estabelecido no local continue trabalhando, desde que não procure usar o evento para aumentar seu lucro. Para Vicente Cândido, o texto contempla os vendedores ambulantes, mas o PT quer explicitar isso no projeto. Foi acatada ainda outra emenda que proíbe a contratação de empresas denunciadas por trabalho escravo para atuar no evento.

Continua após a publicidade

O grande embate em plenário deve se dar mesmo na questão da venda de bebidas alcoólicas nos estádios. O relator vai retomar o texto original do governo, que apenas suspende a proibição prevista no Estatuto do Torcedor. A oposição, porém, vai tentar aprovar uma emenda proibindo explicitamente o comércio do produto ou pelo menos manter em vigor a proibição do Estatuto do Torcedor.

O líder do governo, Arlindo Chinaglia (PT-SP), afirma que o Executivo vai defender a aprovação do texto original sobre as bebidas alcoólicas, para “cumprir o acordo com a Fifa”. A maioria dos parlamentares, porém, concorda que o texto escolhido fará com que em Estados onde há leis contrárias seja preciso revogá-las durante os eventos da Fifa. O relator, Vicente Cândido, acredita que será necessário até negociar com o Ministério Público devido a existência de Termos de Ajustamento de Conduta assinados em 11 das 12 sedes do Mundial.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.