Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Copa SP: Corinthians bate São Paulo e pega zebra na final

Após vitória do clube alvinegro por 3 a 0, torcidas brigaram em Limeira. Na outra semifinal, Palmeiras foi surpreendido pelo Botafogo de Ribeirão Preto

Por Da Redação - 23 jan 2015, 08h16

Maior campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior com oito títulos, o Corinthians chegou a mais uma decisão. Na noite desta quinta-feira, a equipe alvinegra venceu o clássico contra e São Paulo por 3 a 0, na semifinal do torneio sub-20, no estádio Major Levy Sobrinho, em Limeira. Na 46ª decisão do torneio, que acontece neste domigo, às10h50 (horário de Brasília) no Pacaembu, o Corinthians irá enfrentar o Botafogo-SP, que derrotou o Palmeiras por 2 a 1, em Barueri.

Leia também:

Muricy Ramalho é internado em São Paulo com diverticulite

Palmeiras vence concorrência com rival e fecha patrocínio

Publicidade

Damião é condenado por má fé com declaração de pobreza

O clássico foi bastante tenso, com várias entradas duras de ambas as equipes. Em sua primeira chance clara de gol, o Corinthians marcou o primeiro aos 21 minutos. O volante Maycon deu um lindo passe para Matheus Vargas, que dominou já cortando o zagueiro e bateu forte de esquerda. O Corinthians continuou melhor e, aos 31 minutos, ampliou a vantagem. Após falta na intermediária, Marciel cobrou rápido e encontrou Léo Príncipe livre. O lateral invadiu a área e bateu firme, sem chances para Lucas Paes.

Na volta do intervalo, o São Paulo tentou reagir. Logo no primeiro lance, o destaque do time, João Paulo, finalizou na trave. O Corinthians, porém, matou o jogo aos 26 minutos. Gabriel Vasconcellos, o artilheiro do time, recebeu na área, girou sobre a marcação e marcou o terceiro. Adversário do Corinthians, o Botafogo bateu o Palmeiras por 2 a 1, em Barueri, com gols de Maic e William. Gabriel Jesus descontou para o Palmeiras, que nunca foi campeão da Copa São Paulo. Esta será a 16.ª final do Corinthians na Copinha, que venceu pela última vez em 2012.

Briga – A partida entre Corinthians e São Paulo, antes marcada para Barueri, foi modificada para Limeira justamente por questões de segurança. No entanto, nem mesmo a nova sede, bem mais distante da capital, foi capaz de impedir os confrontos violentos entre torcedores rivais. Após a vitória corintiana, era esperado que a Polícia Militar mantivesse os torcedores são-paulinos no estádio, até que todos os corintianos saíssem. No entanto, ambas as torcidas deixaram o campo simultaneamente e se enfrentaram com pedaços de madeira e pedras, nos arredores do Major José Levy Sobrinho. Depois do conflito inicial, a Polícia Militar interveio, utilizando bombas de efeito moral. Assim, agrupados, os torcedores correram e se dispersaram pela cidade do interior paulista.

Publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade