Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Copa no Catar: europeus apoiam mudança para o inverno

Mas falta resolver divergência entre Fifa, Uefa e clubes sobre datas do torneio

Por Da Redação 19 set 2013, 15h37

As federações de futebol da Europa anunciaram nesta quinta-feira que vão apoiar a realização da Copa do Mundo de 2022 no inverno do Catar, mudando o torneio de junho ou julho para o fim do ano. A decisão de optar pela alteração no calendário foi tomada pela Uefa após consultas às 54 federações dos países europeus. No entanto, ainda não existe um consenso sobre quando o torneio seria disputado. A Uefa pediu que a Fifa realize uma ampla consulta com os clubes europeus antes de estabelecer a nova data, já que ainda não existe uma solução de consenso sobre qual seria o melhor período para promover a competição.

Leia também:

Governos europeus queriam Copa no Catar, afirma Blatter

Copa no Catar: vice da Fifa diz que atletas são prioridade

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, reconheceu que foi um erro dar o direito ao Catar de sediar a Copa em pleno verão no Oriente Médio. Na quarta, ele chegou a dizer que a vitória do país teve influência política. Diante da pressão internacional, Blatter aceitou que não havia como disputar os jogos no meio do ano e propôs que a Fifa votasse em uma nova data na reunião do dia 3 de outubro, em Zurique, na Suíça. O maior problema é que a transferência para o inverno europeu significa a interrupção de alguns campeonatos – principalmente a Liga dos Campeões, maior competição do continente. Ingleses e alemães se opuseram à mudança e alguns clubes e dirigentes chegaram a levantar a possibilidade de pedir indenizações ao Catar e à Fifa caso a mudança ocorresse.

Continua após a publicidade

Leia também:

Blatter admite erro por Copa do Mundo no verão do Catar

Fifa confirma que tentará fazer a Copa no inverno do Catar

O vice-presidente da Uefa, Jim Boyle, acredita que a entidade chegou a uma decisão sensata. “Há um acordo entre os países da Uefa de que a Copa não pode ser jogada no verão. Todos concordaram com isso. O que não queremos é que a Fifa decida imediatamente a data exata do torneio. Temos ainda nove anos pela frente.” O dirigente confirmou que uma das soluções seria que a Fifa conversasse com os principais clubes europeus para chegar a um consenso.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Entre os clubes, as federações europeias e a Fifa, o desacordo é total sobre a data da Copa. A Uefa defende que a Copa ocorra em janeiro, justamente para não forçar a Liga dos Campeões a ter de mudar seu calendário. Já a Fifa quer o Mundial entre novembro e dezembro, para que não coincida com os Jogos Olímpicos de Inverno – as duas competições ao mesmo tempo poderiam gerar uma divisão de audiência, o que não seria positivo nem para a Fifa e nem para o COI.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade