Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Contratado, Seedorf segue sendo assunto no Botafogo

Por AE

Rio – Um assunto domina o Botafogo desde sábado. A expectativa é grande pela chegada de Clarence Seedorf, prevista para sexta-feira. A diretoria pretende apresentá-lo à torcida no sábado, antes da partida contra o Bahia, no Engenhão. Mas os torcedores não esperam e já consomem a nova estrela alvinegra.

A procura por camisas com o número 10 e o nome de Seedorf às costas aumentou desde o anúncio do acerto com o craque. A loja na sede do clube expõe o futuro uniforme do meia em sua vitrine. Os botafoguenses não se intimidam nem com o preço salgado: R$ 229,70 para adquirir a camisa e gravar número e nome.

A chegada do astro já mexe com os jogadores e técnico alvinegros. Oswaldo de Oliveira gasta longos minutos trabalhando a nova formação tática mentalmente. Os atletas lidam com a ansiedade para ver qual dos atuais titulares cederá lugar ao holandês, que, com salários de R$ 700 mil mensais, não vem para enfeitar o banco de reservas.

“Estamos ansiosos, todos de braços abertos, com uma expectativa grande de que possa vir ajudar o Botafogo”, disse Oliveira. “Ele é muito versátil, pode atuar em pelo menos quatro posições”.

O técnico, porém, ressalta que haverá um período de transição de Seedorf da realidade europeia para a brasileira. “Algo fundamental serão os gramados. Nossos campos são diferentes dos europeus. Os passes (na Europa) saem sem mudar a trajetória”, alertou.

O grupo celebra a chegada de um reforço que impõe respeito e eleva o nome do clube ao cenário internacional. “A briga no meio é boa, é sadia. O Botafogo precisa de jogadores como o Seedorf, um grande ídolo como outros que o clube já teve”, exaltou o meia Vitor Júnior, à Rádio Brasil.

No entanto, há outros problemas. Com o acerto com o holandês, a prioridade se volta para o ataque. Herrera está de saída para os Emirados Árabes e Loco Abreu teve uma segunda reunião, nesta segunda, com representantes do Figueirense e os agentes do uruguaio para discutir a oferta catarinense.

“Primeiro apresentamos uma proposta para ele com aspecto esportivo e hoje (ontem) vamos nos reunir mais uma vez para conversar sobre o lado financeiro”, disse o agente Eduardo Uram, que conduz a negociação para o Figueirense.

Loco não participou mais uma vez do treinamento do Botafogo, nesta segunda. Desde a derrota para a Ponte Preta, dia 24, o atacante não participa das atividades coletivas no Botafogo, sob a alegação de dores no joelho. Fellype Gabriel, com o mesmo problema, também não treinou.