Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Contra a Nigéria, França busca mostrar que é, sim, favorita

Depois de mostrar um futebol melhor do que se esperava na fase de grupos, a equipe de Deschamps quer ir mais longe. Calor assusta mais que os africanos

“A seleção da Nigéria é um time mais atlético, com muita força física. Portanto, eu prefiro garantir a posse de bola para impor nosso ritmo”, disse Deschamps

Ela foi uma das últimas seleções tradicionais a garantir vaga na Copa do Mundo de 2014. Agora, a França espera continuar na festa até o final. Depois de fazer uma boa primeira fase, com duas goleadas e um empate (já classificada e com time misto), a equipe treinada por Didier Deschamps, líder da geração campeã de 1998, espera despachar a Nigéria nesta segunda-feira, às 13 horas (de Brasília), no Estádio Nacional Mané Garrincha, garantindo a sobrevivência no torneio e, se possível, o status de favorita legítima ao título. “É jogo de vida ou morte, não haverá segunda chance”, lembrou Deschamps na véspera do jogo na capital federal.

Leia também:

Não ir à final seria um fracasso para a França, avisa Sagna

Na 2ª fase, chave desequilibrada. E os argentinos festejam

França desacelera e apenas empata, mas elimina Equador

Retrospecto do confronto: um jogo, com vitória nigeriana

“A partida pode ser mais tensa porque é decisiva e pode acabar indo para prorrogação e pênaltis. Isso exige mais prudência e cautela”, explicou, avisando que não se deve esperar uma goleada como a que a França conseguiu contra a Suíça, em Salvador. “A seleção da Nigéria é um time mais atlético, com muita força física. Portanto, eu prefiro garantir a posse de bola para impor nosso ritmo. Controlar o jogo será importante até pela questão da temperatura”, explicou. Jogar em Brasília sob o sol das 13 horas, aliás, parece preocupar os franceses mais do que o próprio time nigeriano. A França ainda não disputou nenhuma partida nesse horário (a Nigéria já) e a comissão técnica teme os efeitos do calor.

“Nos últimos dias, tentamos nos adaptar ao horário e mudamos nossa alimentação. Os nigerianos estão mais adaptados. As condições podem influenciar o ritmo do jogo. Vimos no sábado brasileiros e chilenos muito cansados depois da prorrogação. É um cenário que exige muito dos jogadores e a parte física vai ser muito importante.” Deschamps diz que seu time vai tentar impedir que os nigerianos transformem o jogo numa correria. “Se o jogo fosse no final da tarde, talvez o ritmo fosse mais acelerado. Mas sob essas condições, será necessário segurar melhor a partida”, ensinou. Os franceses têm só uma dúvida no time: o zagueiro Sakho, que sentiu uma contusão muscular. Se ele não puder jogar, o companheiro de Varane na defesa será Koscielny. Se confirmar seu favoritismo contra os nigerianos, a França aguardará o vencedor do outro jogo de oitavas de final desta segunda, entre Alemanha e Argélia.