Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Conmebol e Concacaf confirmam Copa América nos EUA

Competição que celebrará os 100 anos da fundação da Conmebol deve ocorrer em junho de 2016 – apesar de todos os escândalos de corrupção

Conmebol e Concacaf ratificaram nesta quinta-feira os Estados Unidos como sede da Copa América Centenário, que será disputada em 2016. O torneio, que celebrará os 100 anos da fundação da Conmebol e terá a participação das dez seleções sul-americanas e seis convidados da região da América do Norte, Central e Caribe, corria o risco de ser cancelado ou transferido por causa do escândalo de corrupção da Fifa – investigado justamente pelo governo americano e que tem Conmebol e Concacaf como dois dos principais alvos.

Leia também:

Suíça aprova extradição de ex-presidente da Conmebol aos EUA

Diretor financeiro da Fifa assume função de Jérôme Valcke

Fifa afasta Jérôme Valcke, acusado de venda ilegal de ingressos

A decisão da manutenção do torneio e da sede original foi tomada após uma reunião entre dirigentes de ambas as associações, na Cidade do México. “Foi uma reunião produtiva para todos, chegamos a um ponto em que estamos alinhados com a meta comum de realizar a Copa América nas datas previamente anunciadas”, disse Jürgen Mainka, diretor de comunicação e marketing da Concacaf. Ele porém, não aceitou perguntas nem deu mais detalhes sobre a realização do torneio, marcado para 3 a 26 de junho de 2016.

A reunião de emergência na Cidade do México provocou rumores sobre uma possível mudança da sede para o México. O escândalo de corrupção na Fifa atingiu diretamente a Conmebol: vários de seus dirigentes foram indiciados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos por suspeita de terem recebido subornos no processo de venda dos direitos de quatro edições da Copa América, incluindo a do Centenário.

Dois ex-presidentes da Conmebol, o uruguaio Eugenio Figueredo e o paraguaio Nicolas Leoz, foram acusados nos Estados Unidos de extorsão, suborno e outros crimes. Figueredo está detido na Suíça. Já Leoz está sob prisão domiciliar no Paraguai. Jeffrey Webb, ex-presidente da Concacaf, aceitou de forma voluntária ser extraditado aos Estados Unidos. Ele compareceu diante de um tribunal de Nova York e foi solto após pagar fiança de 10 milhões de dólares.

(Com Estadão Conteúdo)