Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Conmebol divulga áudios do VAR em River Plate 2 x 0 Boca Juniors

Brasileiro Raphael Claus assinalou pênalti e expulsou um jogador visitante com o auxílio da tecnologia; confira os diálogos

O árbitro brasileiro Raphael Claus teve uma tensa noite de trabalho no Superclássico argentino no qual o River Plate bateu o Boca Juniors por 2 a 0, em casa, pela primeira partida da semifinal da Copa Libertadores na última terça-feira, 1º. Dois dos chamados “lances capitais” da partida foram revisados pelo VAR, sob protestos dos atletas do time derrotado. A Conmebol divulgou os áudios da sala de vídeo na quarta-feira, 2, e mostrou de que forma as decisões foram tomadas.

Participam das conversas, que se misturam entre português e espanhol, Claus, o árbitro de vídeo colombiano Nicolás Gallo e seu auxiliar número 1, o brasileiro Rodolpho Toski. No pênalti marcado para o River, logo no início da partida, Claus é convencido pelos colegas de que o contato de Emmanuel Más em Rafael Borré foi faltoso.

Veja também

“Possível pênalti”, anuncia Gallo, cumprindo o protocolo. “Para mim, nada”, responde Claus, ainda com o jogo em andamento. O VAR diz que precisa ver o ponto de contato, até que o auxiliar Toski recomenda ao colega de campo: “Checando possível pênalti, espera, espera”. Convidado para rever o lance na TV à beira do gramado, Claus muda de ideia. “Para mim foi pênalti, confirma número 3”.

Já no fim da partida, o VAR voltou a intervir para alterar a cor do cartão de Nicolás Capaldo, do Boca, de amarelo para vermelho. Novamente seguindo o protocolo, o VAR pede para ver o “ponto de contato” e recomenda que a entrada em Enzo Pérez era passível de vermelho. Claus revê o lance nas velocidades reduzida e normal e opta pela expulsão de Capaldo.

A outra semifinal entre Flamengo e Grêmio, que terminou empatada em 1 a 1, em Porto Alegre, teve ainda mais interferência do VAR. O árbitro argentino Nestor Pitana anulou três gols do Flamengo e decidiu não expulsar Michel após rever os lances. Até o momento, a Conmebol não disponibilizou o áudio da arbitragem.