Clique e assine com até 92% de desconto

Confusão entre Ceará e Criciúma rende suspensões e multas na Série B

Por Da Redação 1 ago 2012, 23h24

O tumulto causado pelos jogadores e técnicos de Ceará e Criciúma na nona rodada do Campeonato Brasileiro levou os envolvidos ao tribunal, nesta quarta-feira. A decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), divulgada após quase uma hora de julgamento, implicou em punições para os atletas que participaram da confusão e em pesadas multas a serem pagas nos próximos dias.

Os técnicos Paulo Comelli, do Criciúma, e PC Gusmão, do Ceará, que haviam sido expulsos após a confusão no empate por 2 a 2, no Presidente Vargas, foram suspensos por duas partidas e receberam uma multa de R$ 2 mil cada. Os treinadores não poderão ficar no banco de reservas nas próximas duas partidas e precisarão comandar seus times das tribunas dos estádios.

Já os jogadores que participaram dos entreveros também precisarão amargar um gancho no Brasileiro da Série B e um prejuízo em suas contas bancárias. Pelo lado do Criciúma, Lucca e Ozéias estarão impedidos de atuar por duas rodadas, sendo que o primeiro arcará com uma multa de R$ 1 mil. No Ceará, Daniel Marques também estará com um gancho idêntico ao de seus rivais, mas não arcará com qualquer sanção financeira.

A medida visa combater novos episódios como os que marcaram a rodada disputada no dia 6 de julho. A reclamação do Ceará gira em torno de uma bola que havia sido dada ao Criciúma em sinal de fair play, mas não foi devolvida aos jogadores de defesa do Vozão. Desarrumada, a zaga não conseguiu se recompor para impedir o iminente avanço do Tigre e sofreu o gol que selou a igualdade em Fortaleza.

A troca de acusações e a invasão de campo por parte dos treinadores e reservas se estenderam a empurrões e agressões verbais e físicas. Incapacitado de conter a situação sozinho, o árbitro distribuiu cartões vermelhos e relatou todo o ocorrido na súmula divulgada logo após o término do confronto. O documento, inclusive, foi a principal prova usada pela promotoria no julgamento desta quarta-feira.

Continua após a publicidade
Publicidade