Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Conflito com bomba atrasa van da Force India no Bahrein

Por AE-AP

Manama – Na semana em que os pilotos da Fórmula 1 se preparam para o GP do Bahrein, membros da equipe Force India acabaram sendo vítimas de um incidente inesperado na noite da última quarta-feira, quando voltavam do circuito de Sakhir em direção ao hotel em que estão hospedados, em Manama, capital do país. Uma bomba incendiária atrasou o retorno de uma van que os transportava e que passava por uma área onde manifestantes travavam um conflito com a polícia local.

Quatro integrantes da escuderia estavam dentro do carro, sendo nenhum deles piloto. Eles não se feriram no incidente, mas ficaram presos no trânsito por causa do protesto e tomaram um grande susto no país que chegou a cancelar a sua prova do ano passado da Fórmula 1 em razão de problemas políticos e de segurança.

“Nós não éramos o alvo. Apenas aconteceu um incidente que estava à nossa frente, uma interrupção na estrada”, disse o porta-voz da Force India, Will Hings, ao explicar a situação. “Ninguém da nossa equipe ficou ferido. Nós não fomos atingidos diretamente por coquetéis molotov”, completou.

Manifestantes no Bahrein têm usado cada vez mais bombas incendiárias contra as forças de segurança durante os últimos conflitos no Bahrein, que no ano passado teve a sua etapa da F1 cancelada devido aos protestos antigovernamentais que deixaram cerca de 50 pessoas mortas.

Na semana passada, porém, o chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, declarou que havia segurança garantida para a realização da prova do próximo domingo e decidiu manter normalmente o calendário da categoria, que terá no Bahrein a sua quarta etapa desta temporada.

Entretanto, o fato é que o país segue vivendo um momento político complicado. Na última quarta-feira, forças de segurança dispararam bombas de efeito moral contra manifestantes que faziam um protesto durante uma exposição cultural relacionada à corrida, desencadeando um novo conflito nas ruas locais.

Porta-voz da Force India, Hings disse que os quatro membros da equipe que foram vítimas do incidente estarão de volta ao circuito de Sakhir nesta quinta-feira, mas se recusou a comentar se a escuderia estava preocupada com as condições de segurança no Bahrein. Ele enfatizou que apenas estão seguindo as determinações da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), que aprovou a realização da corrida.