Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Como há 8 anos, Grécia estraga festa dos anfitriões na abertura da Euro

Varsóvia (Polônia), 8 jun (EFE).- A Grécia teve nesta sexta-feira uma estreia de Eurocopa bem parecida com a de 2004 ao empatar em 1 a 1 com a Polônia no Estádio Nacional de Varsóvia, depois de ter saído em desvantagem no placar.

Há oito anos, os gregos fizeram 2 a 1 em Portugal no primeiro jogo. Depois, ainda voltaram a bater Figo, Cristiano Ronaldo e companhia na decisão, ficando com o título e protagonizando uma das maiores zebras da história da Euro.

Os poloneses saíram na frente antes dos 20 minutos do primeiro tempo, com gol de Lewandowski, e tiveram vantagem numérica por um bom tempo, mas sofreram o empate de Salpingidis e só não levaram a virada porque o goleiro reserva Tyton defendeu um pênalti na etapa final.

Na segunda rodada do grupo A, marcada para a próxima terça-feira, os poloneses enfrentarão os russos, e a Grécia terá pela frente a República Tcheca.

A Polônia disputa a segunda Euro de sua história e tinha feito apenas um gol na história do torneio, marcado pelo brasileiro naturalizado Roger Guerreiro – que desta vez não foi convocado – no empate em 1 a 1 com a Áustria, em 2008.

Os donos da casa quiseram fazer valer a força da torcida desde o começo e assustou o adversário logo aos quatro minutos do primeiro tempo. Após cruzamento da direita, a defesa grega afastou apenas parcialmente. Na sobra, Muraski chutou de fora da área, e Chalkias colocou para escanteio com uma bela defesa.

O lado direito era mina de ouro da Polônia, que atacou por ali novamente aos 13. Piszczek tabelou com Blaszczykowski e bateu cruzado. A bola atravessou toda a extensão da área, mas ninguém apareceu para completar, num lance que lembrou o gol marcado por Roger Guerreiro há quatro anos.

A pressão surtiu efeito aos 16 minutos. Pela direita, como sempre, Piszcek aproveitou a bobeira da zaga e levantou na medida para Lewandowski. O homem-gol da equipe anfitriã cabeceou firme no canto direito e fez 1 a 0.

O gol não fez com que os poloneses diminuíssem o ritmo, principalmente por conta do apoio da torcida, mas também não abateu os gregos. Aos 27, Ninis sofreu falta, cobrou mal e ligou o contra-ataque polonês. Contudo, um erro de passe ajudou a campeã de 2004 a se recuperar.

Por muito pouco o segundo gol não saiu aos 36 minutos. Obraniak bateu falta, a zaga tirou mal novamente e Perquis ficou limpo com a sobra, mas finalizou mal e apenas cedeu o tiro de meta.

Ainda antes do intervalo, aos 43, aconteceu um lance do qual os gregos reclamaram muito. Papastathopoulos nem sequer cometeu falta em Murawski, mas o árbitro não entendeu assim, marcou a infração e ainda expulsou o zagueiro.

Mesmo tendo ido para o intervalo em desvantagem numérica, a Grécia chegou ao empate logo no começo do segundo tempo. Aos cinco minutos, Torosidis cruzou, Szczesny saiu mal e a bola ficou com Salpingids, que, com o gol aberto, estufou a rede e empatou.

O empate abalou a Polônia, que não conseguia mais jogar. A Grécia foi ganhando campo e quase empatou aos 17. Samaras recebeu lançamento nas costas da zaga dentro da área, mas errou o tempo de bola e chutou mal, à direita da meta.

A resposta aconteceu em seguida, aos 20 minutos. Polanski abriu o jogo na esquerda para Boenisch, que levantou para Rybus na primeira trave. O meia cabeceou com estilo, mas mandou para fora.

Quatro minutos depois, Szczesny se tornou o vilão da Polônia ao cometer pênalti em Salpingidis, que foi lançado livre e já ia driblando o camisa 1. Mas a torcida local foi salva pelo primeiro herói da Euro-2012, o goleiro reserva Tyton, que voou no canto esquerdo e parou a cobrança feita pro Karagounis.

A partida ficou lá e cá, e qualquer uma das equipes poderia ter chegado aos segundo gol. Aos 33, Obraniak foi acionado na direita, invadiu a área e no momento de bater cruzado foi deslocado pelo defensor, mas a arbitragem mandou continuar. Do mesmo ponto, aos 39, Lewandowski arrematou a meia altura e acertou o lado de fora da rede.

A seleção da casa ainda fez uma última tentativa de desempatar, aos 45 minutos. Piszczek desceu pela direita e fez o cruzamento forte para o meio da área. Antes de qualquer atleta polonês, Katsouranis apareceu para cortar em escanteio.

Ficha técnica:.

Polônia: Szczesny; Piszczek, Wasilewski, Perquis e Boenisch; Polanski, Murawski, Blaszczykowski, Obraniak e Rybus (Tyton); Lewandowski. Técnico: Franciszek Smuda.

Grécia: Chalkias; Torosidis, Papastathopoulos, Avraam Papadopoulos (Kyriacos Papadopulos) e Holebas; Katsounaris, Maniatis e Karagounis; Ninis (Salpingidis), Gekas (Fortounis) e Samaras. Técnico: Fernando Santos.

Arbitragem: Carlos Velasco Carballo (Espanha), auxiliado por seus compatriotas Roberto Alonso Fernández e Juan Carlos Yuste Jiménez.

Cartões amarelos: Papastathopoulos, Holebas e Karagounis (Grécia)

Cartões vermelhos: Szczesny (Polônia); Papastathopoulos (Grécia).

Estádio Nacional de Varsóvia, em Varsóvia (Polônia). EFE