Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Com treinador ‘sem chuteiras’, Chile encara Austrália

Jorge Sampaoli é atração da equipe sul-americana nesta sexta, em Cuiabá

Discípulo do excêntrico Marcelo “El Loco” Bielsa, o técnico Jorge Sampaoli, do Chile, é um dos cinco únicos desta Copa que jamais jogaram futebol profissionalmente. Demérito ou mérito duplo?

A partida desta sexta-feira entre Chile e Austrália, na Arena Pantanal, em Cuiabá, às 19h (horário de Brasília), terá como protagonistas uma figura excêntrica. Técnico da equipe sul-americana, Jorge Sampaoli fará sua estreia em Copas do Mundo, aos 54 anos. Nascido na Argentina, ele é um dos cinco treinadores entre os 32 do Mundial que nunca jogaram futebol profissionalmente. Apesar da falta de intimidade com a bola no pé, Sampaoli já provou valor à beira do campo e pretende iniciar a competição mostrando às favoritas Espanha e Holanda que os chilenos serão sérios rivais no Brasil.

Leia também:

Chilenos declaram guerra à Espanha por alcunha ‘La Roja’

Os dez matadores que devem disputar a artilharia da Copa

Felipão atribui a virada à voz da torcida de SP: ‘Foi inacreditável’

Croata lamenta o pênalti ‘ridículo’. Mas o Felipão achou que foi…​

O técnico tem como principal inspiração o compatriota Marcelo “El Loco” Bielsa. Ele tentou a sorte como jogador no Newell’s Old Boys, clube pelo qual Bielsa fez história, mas uma grave lesão na fíbula o tirou dos gramados aos 19 anos, ainda nas categorias de base. O trauma não o fez desistir do futebol. Sampaoli iniciou a carreira de treinador em clubes menores da Argentina e sempre teve a audácia como principal marca – e também de suas equipes. Certa vez, suspenso, dirigiu seus atletas de cima de uma árvore. A foto deste momento chamou a atenção de Eduardo Lopez, então presidente do Newell’s, que lhe ofereceu um emprego no Argentino, uma filial da equipe de Rosário. De lá para cá, Sampaoli passou por clubes de Peru e Equador até se consagrar na Universidad de Chile. Os três títulos nacionais e o estilo de jogo ofensivo o levaram à seleção chilena, que terá dura missão neste Mundial.

Na coletiva prévia à partida desta sexta, Sampaoli admitiu que ganhar da Austrália é crucial. “Será uma final. Quando vestimos a camisa do Chile, temos que deixar tudo. Uma vitória nos dará confiança para os próximos jogos”, falou. O treinador espera um reforço de peso para o confronto: o volante Arturo Vidal, destaque da Juventus nesta temporada, recuperado de cirurgia no joelho. Valdivia, meia do Palmeiras, também treinou entre os titulares, com Alexis Sánchez e Eduardo Vargas mais avançados. A seleção chilena, no entanto, não realizou nenhum trabalho no palco da partida, a Arena Pantanal.

Austrália – Primeira seleção a chegar ao Brasil, a Austrália é a equipe menos badalada do grupo e pretende usar a falta de pressão como aliada. O treinador Ange Postecoglou demonstrou confiança depois do treino secreto na Arena Pantanal. “Estamos prontos. Será um grande desafio, somos uma nação que quer se comparar com as melhores. Vamos fazer isso na estreia. O futebol em nosso país cresce muito e é hora de mostrar”, afirmou. Ao contrário de Sampaoli e outros quatro técnicos desta Copa, o grego Postecoglou foi jogador profissional na Austrália, entre as décadas de 1980 e 1990.