Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Com tempo do ano, Fratus esperava ter nadado melhor

Por AE

Rio – Mesmo depois de superar Cesar Cielo em grande estilo nas eliminatórias dos 50 metros livre do Troféu Maria Lenk, nesta quarta-feira pela manhã, no Rio, Bruno Fratus afirmou que esperava por um desempenho superior de si próprio, embora tenha conquistado o melhor tempo do mundo no ano ao cravar 21s70. Ele conseguiu baixar a marca do australiano James Magnussen, que no mês passado cronometrou 21s74.

“Sair da competição e entrar na reta final pra Olimpíada é um objetivo. Gostaria de ter nadado um pouquinho mais baixo. Acho que vocês nunca me viram sair da piscina e dizer que estou satisfeito, mas acredito que vai ser melhor à tarde”, disse Fratus, em tom descontraído, se referindo à final da prova, que na realidade será nesta noite de quarta, a partir das 19 horas.

Cielo, por sua vez, obteve o tempo de 21s78 nas eliminatórias e agora está com a terceira melhor marca do ano no mundo. O campeão olímpico e mundial, porém, mostrou estar otimista de que irá brilhar com uma vitória e uma marca expressiva na final desta quarta, depois de ter prometido, no início desta semana, conquistar os seus melhores tempos desde a proibição dos maiôs tecnológicos na natação.

“A expectativa de fazer o melhor tempo da minha vida sem os trajes agora está alta. A eliminatória deu uma confiança. Dei uma respirada no final justamente pra poupar e dar uma segurada. À noite a intenção é não respirar. Vai ser uma bela prova”, projetou Cielo, que é o recordista mundial dos 50 metros livre, com o tempo de 20s91, obtido quando era permitido o uso de maiôs tecnológicos.