Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Com rebaixamento quase certo, Botafogo tem nova direção

Carlos Eduardo Pereira assume a presidência a três dias da provável queda do clube à segunda divisão. Para tentar a virada milagrosa, ele aposta em... Sheik

Por Da Redação 26 nov 2014, 08h40

“Todos os botafoguenses devem ter a consciência de que 2015 vai ser um ano muito difícil”, avisou o novo presidente

Veterano na política do clube, o empresário Carlos Eduardo Pereira é o novo presidente do Botafogo. Eleito na terça-feira, ele assume a direção do clube já nesta quarta. Pereira, 56 anos, liderava a chapa “Oposição Unida”, que recebeu 442 dos 1.225 votos na eleição, e comandará o clube até 2017. O antigo presidente, Maurício Assumpção, não conseguiu emplacar um candidato. O cartola é tão impopular que sequer apoiou uma das quatro chapas e, para fugir de possíveis protestos, não apareceu para votar. Assumpção, que ficou seis anos no cargo depois de surgir em 2009 como uma promessa de renovação na política do clube, deixa o Botafogo com a equipe praticamente rebaixada para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Leia também:

Presidente do Botafogo decide demitir 4 de seus titulares

Diretoria do Botafogo cogita punir Jefferson por não jogar

O Botafogo soma apenas 33 pontos na competição e precisa de um milagre para se salvar – além de ganhar os dois últimos jogos, contra Santos e Atlético-MG, precisa que o Palmeiras perca suas duas partidas, que o Vitória não some mais que um ponto e que o Bahia não ganhe seus dois próximos confrontos. Mesmo se tudo isso acontecer, ainda é necessário tirar oito gols de saldo em relação aos paulistas. É muitíssimo provável, portanto, que o novo presidente passe apenas três dias na primeira divisão (os jogos envolvendo os demais clubes que brigam para não cair acontecem neste sábado). Depois de ter sua vitória confirmada, Pereira disse que pretende reintegrar os quatro atletas afastados por seu antecessor, Emerson Sheik, Julio Cesar, Bolívar e Edilson. “Queremos reforçar o time contra o Santos, porque não vamos jogar a toalha antes da hora”, explicou. Bolívar e Edilson, porém, já tiveram seus contratos rescindidos.

Membro ativo do Conselho Deliberativo, Pereira foi candidato à presidência do Botafogo pela segunda vez – na primeira, saiu derrotado. No pleito realizado na terça, ele venceu com margem de apenas 95 votos para a chapa encabeçada por Thiago Cesário Alvim, novato na política botafoguense, mas que representava um grupo forte dentro do clube. Outros dois candidatos participaram da eleição: Marcelo Guimarães obteve 234 votos e Vinicius Assumpção, 200. “É uma responsabilidade muito grande. Esses eleições passaram uma mensagem muito importante: nós precisamos unir o clube. Não vamos deixar que toda essa mobilização seja desperdiçada. Todos os botafoguenses devem ter a consciência de que 2015 vai ser um ano muito difícil. Por isso, precisamos do apoio de todos. Estamos orgulhosos, mas cientes da nossa responsabilidade”, disse o novo presidente.

​(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade