Clique e assine com até 92% de desconto

Com público pequeno e tranquilo, Palmeiras bate o Paulista

Time de Jundiaí teve dois expulsos; nas arquibancadas, vaias apenas para o atacante Kleber e seus gols perdidos na suada vitória por 2 a 1

Por Da Redação 14 mar 2013, 22h49

O Palmeiras venceu o Paulista de Jundiaí por 2 a 1 na noite desta quinta-feira, no Pacaembu, em seu primeiro jogo em casa após a confusão envolvendo torcedores da organizada Mancha Alviverde e jogadores, em Buenos Aires, depois de jogo pela Copa Libertadores. O resultado fez a equipe subir para o sexto lugar no Campeonato Paulista, com 20 pontos, e acabar com uma série de três jogos sem vitórias – um empate por 0 a 0 contra o São Paulo, no estadual, e derrotas para Libertad e Tigre, na Libertadores.

Leia também:

Palmeiras tem plano para que torcedor não prejudique o clube

Com público pequeno no Pacaembu (5.301 pagantes e 137.505 reais de renda bruta), o clima foi de tranquilidade nas arquibancadas, um dia depois de a diretoria criar uma ação recomendando calma aos torcedores, usando faixas com dizeres como “Não prejudique o seu clube de coração”; “Não arremesse objetos no campo”; e “Não utilize sinalizadores ou fogos”. Mesmo com a atuação discreta da equipe, que jogou por mais de meia hora com dois jogadores a mais, o clima foi de apoio e houve apenas algumas vaias em lances isolados, especialmente para o atacante Kleber, que perdeu varias chances claras de marcar. A Mancha, que criticou as ações da diretoria, não fez nenhum protesto.

O Palmeiras abriu o placar logo a 2 minutos, numa cobrança de escanteio de Vinícius que o zagueiro Dráuzio colocou para dentro, contra, ao tentar afastar em dividida com Maurício Ramos. O Paulista empatou aos 11, aproveitando um contra-ataque e uma falha da defesa palmeirense que terminou em gol de Marcelo Macedo. Aos 44, Patrick Vieira cobrou falta e Vilson cabeceou, fazendo o segundo gol do Palmeiras. Logo em seguida, o meia Renato acertou um pontapé em Valdivia e foi expulso. No começo do segundo tempo, o volante Matheus levou cartão vermelho por falta dura em Vinícius. E, mesmo com 11 contra nove, o Palmeiras não aproveitou as chances para construir uma goleada – e ainda foi ameaçado algumas vezes: aos 44 minutos, Chiquinho bateu de fora da área e Fernando Prass fez grande defesa. Aos 45, o mesmo Chiquinho teve outra chance dentro da área, mas chutou mal e não conseguiu marcar. E, aos 46, Prass fez outra defesa, em chute de Rodolfo Testoni.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

O Palmeiras volta a jogar no domingo pelo Paulista, contra o São Caetano, às 16h, em São Caetano do Sul. O Paulista, que é o 12º colocado, com 13 pontos, joga às 18h30 diante do Botafogo, no estádio Jayme Cintra, em Jundiaí.

Continua após a publicidade
Publicidade