Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Com novo laudo, Ponte Preta deve jogar semifinal em casa

Por enquanto, o segundo jogo contra o São Paulo está previsto para ser em Mogi Mirim

Com novo laudo do Corpo de Bombeiros emitido nesta sexta-feira, atestando que o Moisés Lucarelli pode receber os mais de 20.000 torcedores exigidos pela Conmebol, a Ponte Preta aguarda liberação do estádio para confirmar o mando de campo do segundo jogo da semifinal da Copa Sul-Americana, na quarta-feira, contra o São Paulo – a capacidade, segundo o clube, é para 20.970 pessoas. Segundo a Ponte, o Corpo de Bombeiros exigiu apenas que as rotas de entrada e saída dos torcedores sejam alteradas. O documento já foi enviado à Federação Paulista de Futebol, que o repassou à Conmebol.

Leia também:

Ponte surpreende São Paulo no Morumbi e vence por 3 a 1

Ponte Preta faz história e elimina Vélez na Argentina

A expectativa é que a Conmebol confirme o jogo em Campinas ainda na noite desta sexta-feira. Apesar de não se manifestar oficialmente sobre o caso, a diretoria da Ponte Preta já dá como certo o jogo no Moisés Lucarelli. Por enquanto, a partida segue programada para o estádio Romildo Ferreira, em Mogi Mirim, local aprovado pelos clubes. A diretoria da Ponte, no entanto, ainda não iniciou a venda de ingressos para o jogo, o que evita conflito com o Estatuto do Torcedor e permite a transferência do mando para seu estádio.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook Siga VEJA Esporte no Twitter

O regulamento da Copa Sul-Americana não permite jogos em estádios com capacidade inferior a 20.000 torcedores a partir das oitavas de final. A Ponte Preta já havia jogado com o Deportivo Pasto e o Vélez Sarsfield normalmente no Moisés Lucarelli. Na outra semifinal, o paraguaio Libertad recebeu o argentino Lanús, no jogo de ida, no estádio Nicolás Leoz, que comporta somente 10.500 pessoas.

(Com agência Gazeta Press)