Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Com gol de Pato, Milan vence e estraga estreia de Ancelotti pelo PSG

Redação Central, 4 jan (EFE).- O Milan derrotou o Paris Saint-Germain por 1 a 0 nesta quarta-feira, nos Emirados Árabes, e conquistou o título do torneio amistoso Dubai Challenge Cup, ofuscando a estreia do novo técnico da equipe francesa, o italiano Carlo Ancelotti, que treinou o time de Milão de 2001 a 2009.

Os ‘rossoneri’ entraram em campo com força máxima, mas o técnico Massimiliano Allegri optou por escalar um trio de ataque, formado por Robinho, Alexandre Pato e Ibrahimovic. O PSG também teve seus titulares, incluindo o lateral-direito Ceará e o meia Nenê.

O único gol do jogo foi marcado logo aos quatro minutos do primeiro tempo. Ibra adiantou para Pato, que foi desarmado. A sobra, no entanto, ficou com o sueco, que rolou para o camisa 7 completar para a meta vazia.

O Milan era dono das ações, enquanto o time de Paris se defendia e tenta explorar os contra-ataques. Num deles, aos 14 minutos, Nenê acelerou e rolou para Pastore chutar forte. Com os pés, Amelia evitou o empate.

A resposta dos italianos não demorou e aconteceu três minutos depois. De Sciglio foi acionado por Robinho na esquerda e cruzou na medida para Nocerino, que virou uma meia-bicicleta e carimbou o travessão de Sirigu.

O PSG foi se soltando aos poucos e voltou a incomodar Amelia aos 31, quando Nenê recebeu de Pastore, tirou o marcador e finalizou rasteiro. O goleiro caiu e encaixou.

Na volta do intervalo, a equipe francesa teve apenas duas alterações, enquanto o Milan trocou todos os jogadores. E foi o time de Paris que assustou primeiro, aos 11 minutos. Desta vez, foi Nenê quem levantou para Pastore, que pegou de primeira e mandou perto da trave esquerda.

Com tantas mudanças feitas por Allegri, os comandados de Ancelotti partiram para cima, e Abbiati teve muito trabalho. Aos 30, Nenê tentou duas vezes e o goleiro fez duas grandes intervenções. Logo depois, o ex-jogador do Palmeiras marcou um gol olímpico, mas o árbitro afirmou que ainda não havia autorizado a cobrança do escanteio.

Aos 32, o meia brasileiro encobriu o arqueiro adversário, mas acertou a trave. Na sobra, Erding também parou no poste, mas já estava impedido. EFE