Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Com dificuldades, Cruzeiro supera Ceará e se reabilita no Brasileiro

Por Da Redação 20 ago 2011, 20h01

Cruzeiro e Ceará fizeram uma partida bastante movimentada no Parque do Sabiá, neste sábado, em Uberlândia, que terminou com vitória do time mineiro por 1 a 0. Com o resultado, a Raposa que vem de derrota para o Furacão, chega a 24 pontos e mantém vivas as esperanças de conquistar o título Brasileiro, ou pelo menos brigar por uma vaga na Libertadores do próximo ano. O gol celeste foi anotado por Montillo em cobrança de pênalti.

O Cruzeiro teve dificuldades para marcar as principais peças do Ceará, principalmente os laterais Boiadeiro e Egídio e também o atacante Osvaldo que deram muito trabalho para a zaga da Raposa, incluindo Gil, que em vias de ser negociado com o futebol da França, atuou normalmente pelo time celeste. Apesar do gol marcado, o armador Montillo, estrela da equipe mineira, pouco apareceu na partida, o que dificultou ainda mais a tarefa do Cruzeiro.

Na sequência do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro terá pela frente o clássico contra o Atlético-MG, marcado para a Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, com mando de campo do Galo. Já o Ceará vai receber o Bahia, no Presidente Vargas, mas antes, o Vozão tem o confronto contra o São Paulo, no jogo de volta da Copa Sul-americana.

O jogo – Atuando com o mando de campo, o Cruzeiro iniciou a partida pressionando a saída de bola dos cearenses e criando as principais jogadas ofensivas. Aos quatro minutos, Roger fez cruzamento na medida para o paraguaio Ortigoza, que livre dentro da área, desperdiçou uma excelente chance de abrir o placar.

Aos sete minutos, o Vozão deu o troco e mostrou que não veio ao Triângulo Mineiro apenas para se defender. O armador Thiago Humberto recebeu assistência, e da entrada da área tentou encobrir o goleiro Fábio, mas a bola caprichosamente carimbou o travessão do arqueiro cruzeirense.

O Lance deu confiança para o Ceará, que aos dez minutos, novamente com Thiago Humberto tentou surpreender Fábio e arriscou um tiro de longa distância, que obrigou o arqueiro da Raposa a espalmar para escanteio. Com muita movimentação, o time de Vagner Mancini conseguiu equilibrar o jogo, que mostrou as duas equipes correndo atrás da vitória.

Continua após a publicidade

Com um número maior de finalizações, o Vozão levava perigo ao gol celeste a todo o momento, o que passou a irritar os jogadores do Cruzeiro em campo, mas na base da vontade, o time mineiro não se abdicou de ser ofensivo. Aos 21, Roger cruzou para área e o avante Wellington Paulista chegou atrasado, assustando o goleiro Diego.

Preocupado com as jogadas criadas pelo atacante Osvaldo pelo lado direito do campo, o técnico Joel Santana esbravejou muito com os seus comandados pedindo atenção especial ao velocista. Com marcação especial em cima de Osvaldo, o Cruzeiro melhorou o desempenho no jogo, mas errou muitos passes, o que complicou a missão da equipe de conquistar três pontos.

Aos 40, depois de cobrança de escanteio, o zagueiro Gil testou firme para o gol, mas o goleiro Diego operou milagre para salvar o Ceará. A jogada levantou os torcedores cruzeirenses nas arquibancadas do Parque do Sabiá, que momentos antes do lance já começavam a esboçar gritos de raça para os jogadores dentro de campo.

As duas equipes voltaram para a etapa complementar com a mesma postura ofensiva do início do jogo. O time alvinegro, porém, apresentou um pouco mais de volume de jogo, fruto principalmente dos erros de passe da Raposa, e chegou inclusive a balançar as redes, mas o árbitro marcou bem o impedimento do volante Heleno.

Aos dez minutos, Ortigoza jogou contra o patrimônio, e depois de cobrança de falta, quase marcou contra, mas Fábio bem posicionado conseguiu fazer a defesa. Com o passar do tempo, o nervosismo tomou conta dos jogadores cruzeirenses e o Vozão passou a ter as rédeas do jogo e as principais chances de marcar.

Aos 20, o avante Marcelo Nicácio, recebeu assistência perfeita dentro da área, e conseguiu tirar do goleiro Fábio, mas o zagueiro Gil salvou praticamente em cima da linha. O castigo veio aos 25, depois de um contra-ataque em velocidade, o atacante Wellington Paulista foi derrubado dentro da área, e o árbitro pernambucano Nielson Nogueira Dias não titubeou, e marcou o pênalti.

O argentino Montillo cobrou com categoria, deslocando o goleiro cearense para abrir o placar e aliviar a pressão em cima da equipe. Com vantagem no marcador, o Cruzeiro passou a cadenciar mais o jogo, administrando e valorizando a posse de bola para garantir mais três pontos no Brasileiro

Continua após a publicidade
Publicidade