Clique e assine a partir de 8,90/mês

Com conselho a atletas, Tite tenta ajudar diretoria a segurar elenco

Por Da Redação - 15 jul 2012, 07h03

Mesmo avesso a ser manager, Tite tem se ocupado de função quase que diretiva no comando do Corinthians. Não é só treinador. Devido ao agito do mercado de transferências, ele tem sido obrigado a ajudar a cúpula do futebol a segurar os principais jogadores, assediados depois do título da Libertadores.

‘Converso com eles, mostro as possibilidades. Busco dar conselho, orientação. Não é conselho, na verdade. É mais abrir uma luz, mostrar que tem esse e aquele caminho. Ele é quem escolhe. Faço isso pela minha experiência, por ter vivido o outro lado, como atleta’, diz o ex-jogador, aos 51 anos.

Por estar entre elenco e diretoria, o comandante corintiano se inteira de tudo. Sabia há dois meses, por exemplo, da possibilidade de Alex sair ao final do torneio sul-americano – o Al Gharafa, do Catar, conversa com o Corinthians e está perto de contratar o meia. Sabe também de propostas não reveladas, como disse no sábado, após a vitória sobre o Náutico.

‘Tem clube louco para contratar o Welder’, revelou Tite, que deu ao jogador a oportunidade de ser titular neste fim de semana, pois Alessandro comunicou a ele e ao preparador físico Fábio Mahseredjian que estava desgastado e não poderia atuar com a intensidade ideal.Esse é inclusive um trunfo para tentar convencer o grupo. O exemplo de Welder, elogiado pelo comandante ao término do jogo, servirá de argumento para aqueles que não vêm tendo chance com frequência entre os 11 iniciais nos últimos tempos. Como o meia Douglas.

Até o momento, saíram o zagueiro Leandro Castán (vendido para a Roma, da Itália) e os atacantes Willian (negociado com o Metalist, da Ucrânia) e Gilsinho (rescindiu com o clube e acertou com o Sport). O também atacante Liedson, em fim de contrato, é um caso à parte. O clube o quer até o Mundial, contudo o liberou para procurar oferta melhor do que a sua.

Continua após a publicidade
Publicidade