Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Com Bond, Bean e Beatles, Londres encanta em abertura

Na mais pop das cerimônias olímpicas, os britânicos desfilam a sua influência e mostram, com música e bom humor, que são um farol na civilização ocidental

Por Giancarlo Lepiani, de Londres 27 jul 2012, 21h12

Um clipe exibido nos telões do estádio mostrou o ator Daniel Craig, o agente 007 do cinema, entrando no Palácio de Buckingham para escoltar a rainha Elizabeth II até a cerimônia. E a própria monarca apareceu no vídeo, cheio de referências bem humoradas aos gostos de sua majestade

Para muita gente, cerimônias de abertura de Olimpíada são sempre a mesma coisa. Mas jamais houve uma festa como que inaugurou Londres-2012. Depois da pirotecnia, do rigor marcial e da grandiosidade de Pequim-2008, a capital britânica dispensou a pompa e apresentou uma celebração solta, divertida e emocionante. Apesar de mais leve na forma, foi muito mais impactante na substância. Os britânicos aproveitaram a ocasião para desfilar toda a sua influência sobre o resto do mundo. Dos Beatles a James Bond, da revolução industrial às revoluções da moda, do poderio naval do antigo império ao fascínio exercido por sua música e por seu cinema, Londres abriu, em cerca de três horas, uma cápsula do tempo cheia de referências sociais e culturais. Foi a solenidade de abertura mais pop da história olímpica – e também uma celebração do impacto notável dos britânicos na civilização ocidental. Depois da apresentação desta sexta-feira, ficará difícil superar a façanha londrina. Afinal, além de saber como narrar bem uma história, os anfitriões tinham muito a contar. Após cerca de uma hora e meia do espetáculo conduzido pelo cineasta Danny Boyle, começava o desfile das delegações, trazendo o evento de volta à esfera esportiva. A bela festa acabou mostrando, entretanto, que a Olimpíada é também muito mais – é uma chance de um país mostrar do que é feito (e o que é capaz de fazer).

Desde o início da festa, com um cenário rural que remetia às origens da nação britânica, a abertura foi uma aula de história e cultura. Para representar a revolução industrial, Boyle fez surgir no gramado chaminés gigantes. Os anéis olímpicos surgiram do alto do estádio, incandescentes, como se fossem forjados de aço. Um dos melhores trechos da festa, no entanto, veio logo em seguida. Um clipe exibido nos telões do estádio mostrou o ator Daniel Craig, o agente 007 do cinema, entrando no Palácio de Buckingham para escoltar a rainha Elizabeth II até a cerimônia. E a própria monarca apareceu no vídeo, cheio de referências bem humoradas aos gostos de sua majestade, como os cães da raça Corgis. A dupla entra num helicóptero e, ao sobrevoar o estádio, um jogo de cena faz parecer que tanto Bond como a rainha saltaram de para-quedas para chegar à festa. Depois do hino britânico e do hasteamento da bandeira do país-sede, a cerimônia tem uma coreografia inspirada na literatura infanto-juvenil britânica, com personagens como Mary Poppins, Peter Pan e Capitão Gancho, Cruella de Vil e Harry Potter. A autora da série de livros de Potter, J.K. Rowling, aparece para ler um trecho de Peter Pan. Antes, Kenneth Branagh já tinha entrado no cenário para recitar Shakespeare.

Leia também:

Leia também: a cobertura da equipe de VEJA no Estádio Olímpico de Londres

Continua após a publicidade

Leia também:

Com uma festa caseira, Londres recupera desfile da tocha

Sete anos depois, chega a hora de Londres, mais uma vez

[View the story “Abertura dos Jogos Olímpicos” on Storify]

Abertura dos Jogos Olímpicos

Storified by · Fri, Jul 27 2012 12:33:55

Continua após a publicidade
Publicidade