Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Com Bolt, Jamaica quebra recorde do 4×100 metros

Por Da Redação 4 set 2011, 09h36

Por AE

Daegu – Usain Bolt conseguiu fazer novamente história no encerramento da sua participação no Mundial de Atletismo, realizado em Daegu, na Coreia do Sul. Neste domingo, o campeão dos 200 metros faturou a sua segunda medalha de ouro ao participar da equipe jamaicana que venceu a final do revezamento 4×100 metros e bateu o recorde mundial da prova com o tempo de 37s04.

O recorde obtido pela Jamaica foi o único quebrado nesta edição do Mundial de Atletismo e foi conquistado exatamente na última prova realizada em Daegu. Além de Bolt, Nesta Carter, que iniciou a prova, Michael Frater e Yohan Blake competiram pela Jamaica.

A expectativa era de que os Estados Unidos fizessem uma disputada acirrada com a Jamaica na prova, o que não aconteceu. A equipe jamaicana abriu vantagem logo no início da prova e viu os norte-americanos se atrapalharem na passagem do último bastão. Com isso, eles nem concluíram a prova.

Darvis Patton supostamente se contundiu antes de tentar passar o bastão para Walter Dix, caiu no chão e deu uma cambalhota. A situação atrapalhou os revezamentos da Grã-Bretanha, que também não concluiu a prova, e de Trinidad e Tobago, que lutava pela vice-liderança, mas ficou fora do pódio. A França terminou em segundo lugar, com 38s20, e São Cristóvão e Névis em terceiro, com 38s49.

Sem concorrentes, Bolt foi o responsável por concluir a prova. Após uma passagem perfeita do bastão feita por Yohan Blake, o maior astro do atletismo imprimiu ritmo forte e conseguiu quebrar o antigo recorde mundial, que também pertencia ao revezamento jamaicano, com o tempo de 37s10, obtido nos Jogos Olímpicos de 2008, em Pequim.

Bolt passou por uma das maiores decepções da sua gloriosa carreira na final dos 100 metros nesta edição do Mundial de Atletismo, ao ser eliminado por queimar a largada da prova. O astro, porém, se recuperou no sábado ao vencer a disputa dos 200 metros e também neste domingo ao faturar a medalha de ouro do revezamento 4×100 metros, com quebra de recorde mundial.

Continua após a publicidade
Publicidade