Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

COI revela 45 novos casos de doping em Pequim e Londres

Reanálise de exames mostrou que 23 medalhistas de 2008 estavam dopados. Identidade dos atletas não foi revelada, mas eles serão banidos da Rio-2016

Os escândalos de doping continuam  abalando o esporte mundial a duas semanas do início da Rio-2016. Nesta sexta-feira, o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou que a análise do segundo rodízio de amostras colhidas nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008 e Londres-2012 revelou 45 novos casos positivos de doping.

O novo caso pode trazer consequências aos Jogos do Rio de Janeiro. As identidades dos atletas não foram reveladas, mas o COI avisou que os atletas flagrados em Pequim e Londres serão banidos da Rio-2016, que começa em 5 de agosto. Nos próximos dias, os comitês olímpicos nacionais e suas respectivas federações serão informados sobre os procedimentos que serão abertos contra os esportistas acusados. 

O COI informou por meio de um comunicado que que foram detectados 30 novos casos de doping nos Jogos da China e 15 no evento na Inglaterra, o que aumenta para 98 o número de exames positivos após a reanálise das amostras colhidas nesses dois eventos.

Leia também:
Isinbayeva detona ‘funeral’ do atletismo: ‘Puramente político’

Rússia acusa EUA de conspiração
COI adia decisão sobre punição à Rússia

O COI explicou que a análise de amostras de Pequim foi centrada fundamentalmente em medalhistas e que 23 dos 30 novos casos positivos são de esportistas que subiram no pódio. Eles pertencem a oito comitês olímpicos nacionais e disputam quatro modalidades distintas. Os 15 testes positivos de Londres 2012, por sua vez, afetam dois esportes e nove comitês nacionais.

Os 98 testes positivos foram revelados após uma reanálise de 1.243 amostras recolhidas nos Jogos de Pequim e Londres. Após a realização entre 5 e 21 de agosto dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, o Comitê Olímpico Internacional procederá à análise da terceira e quarta rodadas.

O presidente do COI, Thomas Bach, ressaltou no mesmo comunicado que a reanálise destas amostras evidencia “a decidida luta” da organização contra o doping.

(com agência EFE)