Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

COI recebe medalha olímpica de Lance Armstrong

Ex-ciclista confessou doping e foi obrigado a devolver prêmio de Sydney

A medalha de bronze conquistada por Lance Armstrong na Olimpíada de Sydney, em 2000, foi devolvida ao Comitê Olímpico Internacional (COI). Em setembro, o ex-ciclista informou que enviou o objeto ao Comitê Olímpico dos Estados Unidos, mas somente nesta quarta-feira a entidade confirmou o recebimento do prêmio, repassado pelo organismo americano. O bronze olímpico de Armstrong foi cassado depois que ele admitiu, em janeiro, ter feito uso de doping durante sua vitoriosa carreira.

Leia também:

‘É impossível vencer o Tour de France sem doping’, diz Armstrong

Armstrong se nega a prestar juramento a agência antidoping

“Sim, nós estamos com a medalha. Ela está nos cofres”, disse Mark Adams, porta-voz do COI, que afirmou que a devolução do objeto representa o fim de um triste capítulo do esporte. O COI decidiu não repassar a medalha de Armstrong para o quarto colocado da prova, o espanhol Abraham Olano Manzano, assim como a União Ciclística Internacional (UCI) não declarou novos vencedores das sete edições do Tour de France conquistadas pelo americano, cujos títulos da mais tradicional competição da modalidade, alcançados entre 1999 e 2005, também foram cassados.

Leia também:

Dossiê exibe provas definitivas sobre doping de Armstrong

Lance Armstrong perde todos os seus títulos por causa de doping

Obrigado a devolver sua única medalha olímpica ao COI, Armstrong conviveu por anos com a suspeita de uso de doping, mas nunca foi flagrado em nenhum exame antidoping e sempre negou o uso de substâncias proibidas. Entretanto, em janeiro confessou que fraudou o esporte durante a maior parte de sua carreira, justificando que essa prática era comum no ciclismo. Com a confissão, perdeu títulos, patrocinadores e o status de maior ciclista de todos os tempos.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

​Siga VEJA Esporte no Twitter

A confissão ocorreu depois de a Agência Antidoping dos Estados Unidos publicar um extenso relatório em que apontava que Armstrong se dopou durante a sua carreira, declarando que ele foi o responsável pelo “mais sofisticado, profissional e bem-sucedido programa de doping já visto no esporte”.

(Com Estadão Conteúdo)