Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

COI normaliza situação do comitê olímpico do Panamá

Por Da Redação 13 mar 2012, 15h52

Madri, 13 mar (EFE).- Após verificar que todas as condições legais de funcionamento foram atendidas, a Comissão Executiva do COI declarou nesta terça-feira que a situação do Comitê Olímpico do Panamá (COP) está ‘normalizada’.

A decisão, firmada durante uma reunião em Lausanne (Suíça), põe um ponto final em um longo conflito que se arrastava desde 2006, quando dois grupos distintos se atribuíram do nome e da representatividade do Comitê Olímpico nacional (COP).

O litígio começou quando um tribunal declarou ilegais as eleições da direção do COP em 2006. Na ocasião, dois grupos de federações elegeram diferentes presidentes. Em setembro de 2007, essa divisão fez com que o COI suspendesse temporariamente o COP de suas funções, embora a medida não chegasse a comprometer a participação dos esportistas panamenhos nas competições.

Após distintas resoluções esportivas e judiciais, o COI reconheceu como legítimo o comitê panamenho presidido por Miguel Sanchiz. Mas, em 2010, uma sentença do tribunal local legitimou o organismo presidido por Miguel Vanegas. Esta dualidade fez com que a Organização Esportiva Pan-americana (ODEPA) e o COI ameaçassem a suspensão do COP em outubro desse ano.

Depois da inscrição do legítimo COP no Registro Público do Panamá, em janeiro de 2011, a situação começou a ser definida somente nesta terça-feira com a aprovação do COI.

Na última semana, a Organização Esportiva Pan-americana (ODEPA), que mantém suspenso o Comitê Panamenho, não deixou o COP participar de uma assembleia no México.

Continua após a publicidade

‘Enquanto houver dois Comitês Olímpicos não podemos contar com nenhuma. O Panamá está em suspensão, sem direitos e deveres’, disse o presidente de ODEPA, o mexicano Mario Vázquez Raña.

O anúncio desta terça ratifica a normalidade institucional do esporte panamenho, embora alguns problemas ainda precisem ser resolvidos, como indicaram à Agência Efe fontes do COI.

Mesmo com a ‘normalização’, um pequeno grupo de federações esportivas panamenha segue dissidente ao Comitê Olímpico. Entre elas, figura a de atletismo, uma das únicas que poderia representar o país nos Jogos Olímpicos de Londres.

O Comitê Olímpico Panamenho deve convocar outra assembléia eleitoral no final deste ano, e o desejo do COI é que todas as federações nacionais possam participar desta.

As mesmas fontes sublinharam que o COI é o único organismo com capacidade para reconhecer e suspender um comitê, e que o COP reconhecido pelo COI é o único que pode enviar atletas aos Jogos. EFE

nam/fk

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)