Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

COI garante apoio a atletas sírios na Olimpíada

Por Da Redação 13 mar 2012, 16h28

Por AE-AP

Lausanne – O Comitê Olímpico Internacional (COI) está ajudando uma série de atletas sírios a conseguirem contornar o caos político e os problemas de violência interna no país para se classificarem à Olimpíada de Londres. A ONU acredita que mais de 7.500 pessoas foram mortas nos últimos 12 meses, desde que os protestos pela saída do presidente Bashar Assad começaram.

Pere Miro, diretor do COI para relações com comitês olímpicos nacionais, disse nesta terça-feira que a entidade internacional está providenciando financiamento para os atletas e que acredita na possibilidade de Londres receber quatro ou cinco esportistas sírios nos Jogos.

“Nós queremos tentar para ter certeza que os atletas sírios irão a Londres. Nós temos as coisas fora do nosso controle, mas continuaremos apoiando eles. Nós faremos nosso melhor”, disse o dirigente do COI, que acredita na classificação de esportistas da Síria no atletismo e na natação, apesar de também haver a possibilidade no futebol.

Por causa do conflito interno na Síria, Miro explicou que o COI está enviando dinheiro diretamente para os atletas, sem passar pelo Comitê Olímpico da Síria, que segue sendo reconhecido pela entidade internacional. “Ele não está suspenso. Não há nenhuma sanção contra este NOC (Comitê Olímpico Nacional, na sigla em inglês). Temos relações normais”, explicou Miro. Baseado em Damasco, capital do país, o comitê e é presidido pelo general Mowaffak Joumaa, mas, de acordo com o COI, precisa ser inteiramente reorganizado.

Os atletas da Síria que conseguirem a classificação para os Jogos Olímpicos de Londres receberão o suporte de seu NOC. Dirigentes do comitê sírio também serão convidados pelo COI. “É esta a situação hoje. Não sei como será em maio”, ressalvou Miro.

Caso o NOC da Síria deixe de ser reconhecido pelo COI (em caso de agravamento da crise, por exemplo), o Comitê Olímpico Internacional tentará levar os atletas sírios a Londres e garantir que eles compitam sob a bandeira olímpica. O mesmo recurso já foi usado, no passado, com atletas do Timor Leste e da Iugoslávia.

Ainda de acordo com Miro, o NOC da Líbia, país que passou recentemente por troca de poder, já está restabelecido e estará normalmente em Londres. Com relação ao NOC do Iêmen há pouca informação, revela o dirigente do COI. Os atletas do Kuwait, cujo comitê está suspenso, competirão sob a bandeira olímpica. Os status de Kosovo e Sudão do Sul ainda serão revistos. Os temas serão discutidos na próxima reunião executiva do COI, em maio.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)