Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

COI agenda reunião para ‘evitar mais demora’ na preparação dos Jogos

Encontro do dia 27 de março vai definir os responsáveis pelas obras olímpicas

O Comitê Olímpico Internacional (COI) afirmou nesta sexta-feira, em visita ao Rio de Janeiro, sede da Olimpíada de 2016, que a cidade não pode mais perder tempo e para isso confirmou a realização de uma reunião com as autoridades brasileiras no dia 27 de março, em Brasília, para resolver as pendências e “evitar mais demoras” na preparação para os jogos.

Leia também:

Comissão do COI inspeciona as obras do Parque Olímpico

Rio 2016 investe para ensinar inglês a jato para brasileiros

Na reunião, participarão responsáveis do governo brasileiro, as autoridades municipais e estaduais do Rio, e do Comitê Organizador Local (COL) – mas nenhum representante do COI. Segundo Nawal El Moutawakel, presidente da Comissão de Coordenação do COI, o encontro vai servir para atribuir a responsabilidade das obras pendentes e esclarecer os respectivos mecanismos de financiamento dessas obras. A principal preocupação é com o Complexo de Deodoro, onde serão disputadas as provas de rúgbi, tiro e pentatlo moderno, que conta com o prazo mais apertado entre as instalações olímpicas.

Leia também:

Rio inicia obra do velódromo para os Jogos Olímpicos

Rio precisa estar sob ‘constante supervisão’, afirma o COI

Apesar da preocupação com os atrasos nas obras para as Olimpíadas, o diretor-executivo do COI, Gilbert Felli, disse que a reunião será uma negociação normal entre parceiros. Moutawakel ressaltou que depois dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia, os focos se voltaram completamente para o Rio de Janeiro. Segundo ela, houve um bom andamento das construções desde a última visita da comissão ao Brasil, em setembro de 2013, e a vinda do presidente do COI, Thomas Bach, em janeiro deste ano.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Os responsáveis do COI também mostraram confiança nas autoridades brasileiras em garantir a segurança da cidade, apesar dos ataques a três Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), o último, na noite desta quinta-feira. “A segurança está em nossa agenda, é também uma prioridade para o governo. Estamos tristes pelo que ocorreu ontem, mas temos certeza que as autoridades estão fazendo de tudo para que não ocorra de novo”, disse Moutawakel.

(Com agência EFE)