Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

COB quer o Brasil no ‘top 10’ do quadro de medalhas em 2016

Comitê Olímpico Brasileiro avaliou como positiva participação em Londres

Por Da Redação 12 ago 2012, 17h11

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) anunciou neste domingo sua meta para 2016: terminar a competição entre os dez primeiros no quadro de medalhas. Em Londres, o Brasil terminou na 22º colocação, com dezessete medalhas, sendo três de ouro, cinco de prata e nove de bronze.

Leia também

Esquiva Falcão levará bandeira no encerramento

Brasileira ganha bronze na última competição

Londres se despede e o Rio já entra em cena; acompanhe

Ao ser perguntado a razão pela qual o número de medalhas vem estagnando apesar de investimentos crescentes (R$ 11,6 milhões só para a missão de Londres, 28% a mais do que Pequim), o superintendente respondeu apenas com a frase: “medalha não tem preço fixo”.

Carlos Arthur Nuzman, presidente do COB, afirmou que conhece a necessidade de investimento para melhorar a posição do país nos próximos quatro anos. “O trabalho para 2016 já começou. Trabalhamos em conjunto com as confederações e com o Ministério do Esporte para oferecer as melhores condições aos nossos atletas”, declarou.

O dirigente máximo do esporte olímpico nacional fez um balanço por modalidades, elogiando o desempenho do judô, do boxe e do vôlei. Ele também chamou atenção para os “pontos de atenção” – termo usado para falar das decepções – na natação, no atletismo, no tae kwon do, na vela e na ginástica feminina.

Continua após a publicidade
Publicidade