Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Clubes espanhóis devem ao fisco 670 milhões de euros

Valor era de 750 milhões de euros no começo do ano

Os clubes de futebol da Espanha devem 670 milhões de euros (aproximadamente 1,77 bilhão de reais) ao fisco local, informou nesta quinta-feira o presidente do Conselho Superior de Esportes do país, Miguel Cardenal – no ano passado eram 750 milhões de euros (1,98 bilhão de reais). O dirigente recomenda uma série de medidas para resolver o problema – entre elas, a negociação coletiva dos direitos de TV pelos clubes, o que não acontece no país há alguns anos. Os gigantes Real Madrid e Barcelona, segundo a revista Forbes, o primeiro e o terceiro clube mais valiosos do mundo, respectivamente, têm acordos individuais que lhes permite receber quase o triplo do valor que é pago ao Atlético de Madri, outro dos grandes da Espanha. Vários clubes do país estão em crise declarada – o Málaga inclusive foi banido das competições europeias na próxima temporada pela Uefa, por quebrar as regras de fair play financeiro.

Leia também:

Leia também: Real é clube mais valioso do mundo. Corinthians é o 16º

Cardenal defendeu a criação de uma nova lei que obrigue a venda coletiva em vez da individual. “A ideia é que a nova lei incorpore a venda conjunta e que se venda como só um pacote, que inclui todas as equipes. Os clubes têm de decidir a divisão, é uma das chaves dessa comercialização.” Na maioria das principais ligas europeias, essa negociação é coletiva, enquanto o Brasil seguiu a receita espanhola e adotou, nos últimos anos, a negociação individual, que colocou Corinthians e Flamengo no topo entre os clubes que mais recebem dinheiro da televisão.

Veja outras reportagems sobre Negócios do Esporte

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

(Com Estadão Conteúdo)