Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Clubes de SP terão plano contra violência das organizadas

<p>Os quatro grandes do estado firmaram compromisso com Ministério Público</p>

Por Da Redação Atualizado em 11 jan 2022, 20h52 - Publicado em 19 nov 2013, 08h23

Os quatro grandes clubes de São Paulo – Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo – e a Federação Paulista de Futebol (FPF) anunciaram nesta segunda-feira um plano para tentar impedir as brigas nos estádios. Eles assinaram no Ministério Público de São Paulo um termo de compromisso para tentar controlar melhor a atuação dos torcedores organizados.

Os clubes e a FPF se responsabilizaram por mudanças que ajudem na identificação e punição de torcedores, depois que as brigas voltaram a se tornar rotina no futebol brasileiro em 2013. Estas medidas passarão a valer a partir do Campeonato Paulista de 2014, mas serão tomadas em todas as competições que eles disputarem durante o ano, inclusive as internacionais.

Leia também:

Bom Senso quer estadual com formato de Copa do Mundo

Mano entra no lugar de Tite no Corinthians em 2014

Torcedor do Cruzeiro morre durante comemoração em BH

Continua após a publicidade

CBF ameaça, mas Bom Senso FC intensifica seu protesto

Continua após a publicidade

A FPF ficará responsável pelo controle do acesso dos associados de torcidas organizadas, que acontecerá através de um cartão com chip e foto. O objetivo é impedir o acesso aos estádios de torcedores que tenham participado de brigas ou que tenham problemas judiciais. Se tentarem entrar, o cartão comunicará imediatamente a polícia.

Já os quatro clubes terão a tarefa de modernizar seus estádios para ajudar na identificação dos torcedores. São Paulo, Corinthians, Palmeiras e Santos terão de instalar câmeras de alta definição que possam localizar e identificar qualquer torcedor presente em seus estádios. Em caso de distúrbios, as equipes terão que enviar as imagens para o Ministério Público.

Caso essas medidas não sejam cumpridas, o clube será multado em 200 000 reais e um novo prazo para a execução será estabelecido. Se o termo de compromisso for descumprido outra vez, uma nova multa será aplicada e um novo prazo também será implementado. Não haverá limite de multas.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Há ainda a possibilidade de que Ponte Preta e Guarani sejam incluídos num futuro acordo. Segundo o promotor Roberto Senise Lisboa, a intenção é ir aperfeiçoando o termo de compromisso ao longo dos anos. “Ficou acertado que daqui um ano esse termo terá eventuais imperfeições corrigidas. A ideia é expandir para outros setores dos estádios, não apenas nos locais onde ficam as organizadas.”

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade