Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Clube bielorusso é punido por racismo contra Luiz Adriano

Bate Borisov terá de jogar com portões fechados diante do Porto. Atacante da seleção brasileira marcou cinco gols pelo Shakhtar no jogo em que foi ofendido

A Uefa anunciou nesta quarta-feira a punição a três clubes por causa do comportamento de seus respectivos torcedores em jogos da Liga dos Campeões. Um deles é o Bate Borisov, da Bielorrússia, que terá de jogar como mandante diante do Porto, na próxima semana, com portões fechados, por causa das ofensas racistas contra o atacante Luiz Adriano, do Shakhtar Donetsk e da seleção brasileira. O incidente ocorreu no último dia 21 de outubro, quando o Bate foi goleado por 7 a 0 pelo Shakhtar, com cinco gols de Luiz Adriano.

Leia também:

Provocação racista estraga o dia de glória de Luiz Adriano

Não é só o torcedor: até técnicos são acusados de racismo​

Presidente da Federação Italiana é suspenso por racismo

​Político que chamou Ronaldinho de ‘macaco’ se desculpa

Após o confronto, Luiz Adriano falou sobre as ofensas ao site oficial do clube ucraniano: “Os torcedores locais me xingaram com gritos sujos, racistas. O comportamento foi inadmissível, estou consternado, indignado.” Naquele jogo o atacante entrou para a história da Liga: se igualou a Lionel Messi como único atleta a marcar cinco gols em uma mesma partida da competição continental.

Outros dois clubes punidos foram o Galatasaray e o Borussia Dortmund, também por causa do comportamento de seus torcedores. O clube turco foi multado em 70.000 euros (cerca de 226.000 reais) em razão de distúrbios provocados pela sua torcida que pararam por duas vezes a partida em que o time foi goleado pelo Borussia Dortmund por 4 a 1, na Alemanha, no mês passado. Os torcedores turcos invadiram o gramado e ainda dispararam sinalizadores no campo. O clube alemão foi multado em 32.000 euros por “atos inadequados” de parte de sua torcida neste duelo.

(Com Estadão Conteúdo)