Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Clássico em Curitiba terá mais de 1,5 mil policiais

Por Evandro Fadel

Curitiba – Mais de 1,5 mil policiais militares, civis, guardas municipais e seguranças particulares estarão nas ruas de Curitiba, terminais de ônibus e na Arena da Baixada, no domingo, para garantir a segurança no jogo entre Atlético Paranaense e Coritiba, em uma das maiores operações já realizadas no Paraná. A vigilância também será feita do alto por dois helicópteros e uma torre com câmera de 360 graus a 10 metros. Para facilitar a identificação de pessoas envolvidas em eventuais tumultos, a PM terá à disposição granadas que espalham tinta. O jogo pode definir o rebaixamento do Atlético e a classificação do Coritiba para a Libertadores.

As orientações foram discutidas em uma reunião na tarde desta quinta-feira com a participação de dirigentes das torcidas organizadas e dos clubes, além de integrantes do Ministério Público e da Companhia de Urbanização de Curitiba (Urbs). A partir das 13 horas de domingo, a PM fará um anel de isolamento que chegará a até duas quadras no entorno do estádio.

Neste local somente será permitida a entrada de pessoas que tiverem ingresso. A previsão é de cerca de 25 mil torcedores. Os moradores estão sendo orientados a manter um documento de identificação de endereço para terem facilidade no trânsito.

No estádio será montada uma estrutura para o Juizado Especial, com dois juízes, quatro promotores e quatro delegados. Todas as ocorrências ligadas ao jogo, independentemente de onde acontecerem, serão encaminhadas para lá, com as pessoas podendo ser sentenciadas imediatamente. “Tomara que não aconteça nada, mas nós vamos preparados pensando que vai acontecer”, disse o delegado de Futebol e Eventos, Clóvis Galvão. Ele alertou que a revista em todos os torcedores será rigorosa e não será permitida entrada com camisa de torcida organizada.

Os torcedores do Coritiba que se reunirem no estádio Couto Pereira serão escoltados até a Arena tanto na ida quanto no retorno. A primeira torcida a deixar o estádio será definida no momento. “Teremos uma situação específica e no momento será decidido”, disse o comandante-geral da operação, coronel Ademar Cunha Sobrinho. Dentro do estádio haverá 500 policiais militares, além de 200 seguranças do Atlético. “Comemoração selvagem não será permitida”, garantiu o coronel. A Urbs informou que haverá reforço de ônibus particularmente na avenida Sete de Setembro, onde passam os expressos que ligam terminais entre as regiões Sul e Norte de Curitiba.

A direção do Coritiba reforçou que, para contribuir com a segurança, não haverá qualquer comemoração de possível classificação para a Libertadores no estádio Couto Pereira. O presidente da torcida Império Alviverde, do Coritiba, Luiz Fernando Corrêa, aprovou as medidas. “Naquele fato de 2009 (invasão do Couto Pereira, após rebaixamento do Coritiba) não houve toda essa preocupação por parte das autoridades, mas todos aprenderam com aqueles erros”, disse. Por parte da torcida Os Fanáticos, do Atlético, há confiança na tranquilidade. “Não vai sair nada fora do previsto, há um efetivo gigante para que nada aconteça”, afirmou o presidente, Júlio Sobota.