Clique e assine a partir de 9,90/mês

Clássico é um teste de fogo para Santos e Palmeiras

Por Da Redação - 5 fev 2012, 07h45

Por Daniel Batista e Sanches Filho

São Paulo – Santos e Palmeiras fazem neste domingo, às 17 horas, no estádio Eduardo José Farah, em Presidente Prudente, o primeiro grande clássico do Campeonato Paulista com objetivos parecidos. Embora estejam em ritmos diferentes, o jogo é uma boa oportunidade de afirmação para os dois lados. O time alviverde testa sua força para saber o quanto pode render na temporada, enquanto que o alvinegro espera mostrar que está recuperando o ritmo de jogo e, em breve, voltará a ser a equipe que tanto encantou o País e só foi parada pelo poderoso Barcelona no Mundial.

As armas dos times são bem conhecidas. O Santos aposta as fichas na genialidade de Neymar, na maestria de Paulo Henrique Ganso e no faro de gol de Borges. Mas o fraco desempenho do time no empate por 1 a 1 contra o Oeste, na quinta-feira passada, no primeiro jogo dos titulares na temporada, serviu para ligar o alerta. O técnico Muricy Ramalho avisou que ainda vai demorar para o bicampeão paulista e tri da Libertadores da América voltar a jogar como no seus melhores momentos, especialmente no primeiro semestre do 2011.

No lado alviverde, as esperanças estão nos pés de Marcos Assunção e Valdivia. O volante é um dos melhores cobradores de falta do Brasil e ainda leva muito perigo nas cobranças de escanteio. Muitos dos gols de Marcos Assunção saíram graças as faltas cavadas por Valdivia, que, assim como Neymar, é especialista em desconcertar as defesas adversárias com seus dribles.

MISTÉRIOS – Os dois treinadores mantiveram a tradição e não anteciparam as escalações. Felipão disse que iria analisar taticamente o adversário antes de decidir quem joga. Já Muricy Ramalho vai montar o time de acordo com o desgaste dos atletas. Mas, até para manter o ritmo de jogo, importante neste início de temporada, a tendência é que os dois times mudem muito pouco em relação a rodada passada.

No Palmeiras, a dúvida é no meio de campo. Patrik pode ser mantido no time, mas outra possibilidade seria a de recuar Luan para o setor e Maikon Leite entrar no ataque, ao lado de Fernandão. Já no Santos, Muricy Ramalho está em dúvida entre Elano e Ibson. No jogo contra o Oeste, Elano pediu para sair com menos de 30 minutos, o que irritou o treinador. No intervalo o meia foi sacado, sob a alegação de que não conseguia ajudar na marcação. O caso pode ter sido o estopim para sua saída do clube.

Continua após a publicidade
Publicidade