Clique e assine a partir de 9,90/mês

Cielo perde para rival francês e leva bronze no Mundial

Assim como nas Olimpíadas de Londres-2012, brasileiro foi superado por Florent Manadou

Por Da Redação - 5 dez 2014, 14h54

O terceiro dia de competições no Mundial de Piscina Curta, em Doha, no Catar, não foi tão proveitoso para os brasileiros como o anterior. Na tarde desta sexta-feira, o maior nome da natação brasileira, Cesar Cielo, foi superado por seu principal rival, o francês Florent Manaudou, e ficou apenas com a medalha de bronze na prova dos 50 metros livre. Manaudou levou o ouro e ainda impôs o novo recorde mundial na piscina de 25 metros, com 20s26. O italiano Marco Orsi terminou em segundo, com 20s69, enquanto Cielo completou a prova em 20s88.

Leia também:

Felipe França brilha e leva três ouros no Mundial de Doha

Brasil bate recorde mundial e é ouro nos 4x50m medley

Continua após a publicidade

Matheus Santana conquista ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude

Natação: boas chances de medalha para o Brasil em 2016

O resultado repete a final dos 50m livre dos Jogos Olímpicos de Londres, há dois anos. Naquela prova, Manaudou surpreendeu a todos ao conquistar o ouro. Cielo, então favorito ao título olímpico, teve que se contentar com a medalha de bronze. Nesta sexta, Cielo largou mal e não conseguiu se equiparar ao ritmo do francês. O brasileiro ainda reagiu depois da virada, mas não foi o suficiente para alcançar Manaudou e o adversário da Itália. “Acho que o problema foi a saída, não foi boa. Essa minha velocidade de saída não está muito boa. E o cara nadou muito, não tem o que fazer. Foi prova de recorde mundial. Acho que ele fez uma estratégia boa, segurou bem até a final”, avaliou o brasileiro, em entrevista ao canal Sportv.

Cielo esperava nadar a final desta sexta em menos de 20s51, seu melhor tempo e recorde sul-americano. “Estou melhor do que o tempo que fiz hoje. Não saiu do jeito que eu queria”, comentou. “Veio a medalha, mas não é o que eu queria. Agora é pensar na próxima prova. Vou analisar com calma a prova, dar uma relaxada e tentar ficar positivo, não deixar esse resultado atrapalhar”. O brasileiro buscava em Doha obter o único recorde mundial que não tem na prova mais rápida da natação. Ele já tem o melhor tempo do mundo em Olimpíadas e em piscina longa, de 50 metros. Cielo levou um ouro em Doha (4×50 metros medley) e disputará mais duas provas do torneio. Neste sábado, ele disputará as eliminatórias dos 100 metros livre. Se avançar na disputa, nadará a final no domingo. No mesmo dia, vai integrar a equipe brasileira de revezamento no 4×100 metros medley.

Continua após a publicidade
Felipe França Silva durante campeonato em Doha
Felipe França Silva durante campeonato em Doha VEJA

Outros brasileiros – Felipe França também não conseguiu repetir nesta sexta-feira os grandes resultados do dia anterior. Depois de conquistar três medalhas de ouro em três provas disputadas, o brasileiro foi apenas o sétimo e último colocado nos 200 metros peito, com o tempo de 2min06s74. França bateu em oitavo, mas um dos rivais foi desclassificado.

O nadador paulista é especialista em provas mais curtas, de 50 e 100 metros. Pela manhã, ele já havia mostrado surpresa só por chegar até a final. O vencedor dos 200 metros peito foi o húngaro Daniel Gyurta, que falhou ao tentar impor novo recorde mundial na prova. Com 2min01s49, faturou o ouro, superando o alemão Marco Kock, medalha de prata com 2min01s91, e o russo Kirill Prigoda, com 2min02s38.

Em outra final com representante do Brasil nesta sexta, Daynara de Paula foi a oitava e última colocada nos 50 metros borboleta, com 25s94. O ouro ficou com a sueca Sarah Sjostrom, que marcou o novo recorde do campeonato, com 24s58. A dinamarquesa Jeanette Ottesen (24s71) levou a prata e a holandesa Inge Dekker (24s73) ficou com o bronze. No revezamento 4×50 metros medley feminino, as dinamarquesas cravaram a marca com o tempo de 1min44s04. A equipe norte-americana anotou 1min44s92 e as francesas levaram o bronze, com 1min45s89. O time brasileiro, que contou com Etiene Medeiros, Ana Carla Carvalho, Daynara de Paula e Larissa Oliveira, obteve o quinto lugar, com 1min46s47, recorde sul-americano.

(Com agência Estadão Conteúdo)

Publicidade