Clique e assine com até 92% de desconto

Cielo fica fora do pódio nos 100m e sonha com bi nos 50m

Por Da Redação 1 ago 2012, 18h46

O nadador brasileiro César Cielo, medalhista de bronze nos 100m livre em Pequim-2008, ficou em sexto na mesma prova nos Jogos de Londres.

O ouro foi para o americano Nathan Adrian, com com um tempo de 47 segundos e 52 centésimos, exatos 40 centésimos a mais do que o brasileiro (47.92).

A medalha de prata foi para o australiano James Magnussen e o bronze ficou com o canadense Brent Hayden.

O brasileiro não parecia abalado por ter ficado fora do pódio, até porque sempre disse que sua prioridade era vencer sua prova preferida, os 50 m livre na qual conquistou o ouro em Pequim-2008.

O paulista de 25 anos sonha com o bicampeonato para se igualar aos seus ídolos, o russo Alexander Popov (ouro em Barcelona-1992 e Atlanta-1996) e Gary Hall (ouro em Sydney-2000 e Atenas-2004).

Quando seu nome foi anunciado ao entrar na piscina para esta final dos 100 m, ‘Cesão’ foi recebido com aplausos pela torcida brasileira que estava em número reduzido no Aquatics Centre de Londres, e deve comparecer em peso no dia 3 de agosto, dia da final dos 50 m.

O brasileiro mostrou sua força na distância mais curta da natação ao liderar a primeira metade da prova, mas depois não conseguiu segurar sua vantagem e foi alcançado pelos rivais.

“Na verdade, teria que ter batido em último nos 50 m e chegado entre os três primeiros depois”, brincou Cielo depois da prova.

Continua após a publicidade

Ele ficou impressionado com o nível da corrida, que teve seis dos oito competidores batendo cada um sua melhor marca do ano, inclusive ele mesmo (baixando de 48.17 para 47,92).

“A corrida foi super disputada, o pessoal nadou muito bem. É difícil ver uma final onde praticamente todos os concorrentes superam sua própria marca pessoal”, afirmou.

Um dos únicos que não conseguiram se superar foi justamente o ‘fanfarrão’ australiano James Magnussen, dono do melhor tempo de 2012 (47.10), que tinha provocado Cielo ao dizer que faria de tudo para bater o recorde mundial do brasileiro (46.91), estabelecido na era dos ‘supermaiôs’, hoje banidos do esporte).

O australiano acabou completando a prova em 47.53 e ficou com a prata por ter sido apenas um centésimo mais lento que o americano Nathan Adrian.

Já o brasileiro cumpriu sua meta, que era de nadar abaixo de 48 segundos.

“Eu tinha falado que teria chances de ficar no pódio nadando em 47 segundos, mas seis concorrentes fizeram isso. Fiz a minha parte, mas não foi suficiente. Como falei ontem, queria fazer meu melhor e torcer para chegar etre os três primeiros. Hoje não deu para mim”, afirmou o brasileiro.

“Sabia que essa não era a minha melhor prova, disputei essa final com uma expectativa média”, disse Cielo, que não vê a hora de cair de novo na piscina nesta quinta-feira para as séries do 50 m.

“Agora é o ‘cinquentinha’. Acabou o 100, finalmente posso nadar meu ‘cinquentinhazinho’. Terminou o primeiro jogo, agora vai ser outra coisa. Vou tentar descansar bem para fazer uma boa eliminatória amanhã (quinta-feira) de manhã”, disse.

“Estou vendo um dia de cada vez. Hoje era o dia de tomar conta dos 100 m, o final pesou bastante e não deu para terminar bem, mas agora passou. Estou 100% focado nos 50 m, uma prova que eu gosto de nadar, e vou defender este título com unhas e dentes”, completou.

Continua após a publicidade
Publicidade