Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cielo esquece rivais e foca própria evolução em Londres

Por AE

Londres – Uma das principais esperanças de ouro para o Brasil nos Jogos de Londres, o nadador César Cielo já sabe a receita para subir novamente no lugar mais alto do pódio. Vencedor dos 50 metros em Pequim, em 2008, o atleta não quer saber de se preocupar com seus rivais e garantiu que seu objetivo na Olimpíada deste ano será apenas se superar.

“Sempre pensei, e continuo pensando, em achar algum erro próprio para melhorar, tentar superar isso. Tento fazer o melhor. Ganhar a prova é sempre muito bom, mas já ganhei muitas vezes com tempos que não gostaria de ter feito e fiquei em segundo com ótimos tempos. Por isso, para mim, o mais importante é conseguir a melhor performance possível”, declarou, nesta quarta-feira.

Entre os principais rivais de Cielo nos 50 metros está o australiano James Magnussen, de apenas 20 anos. Ele chegou a cravar o melhor tempo do ano, com 21s74, em março, mas foi superado pelo brasileiro, que marcou 21s38 no mês seguinte. No entanto, nem mesmo Magnussen parece tirar o sono do atual campeão olímpico, que só pensa em melhorar seu próprio desempenho.

“Sei que se eu melhorar em algum ponto da prova, em algum aspecto, posso tirar alguns centésimos. A gente faz análise das provas, vemos o que precisamos melhorar. Sei que um pouquinho vou conseguir melhorar. Não sei o quanto, mas o parâmetro é sempre o melhor tempo que temos na vida”, apontou.

De acordo com Cielo, essa filosofia faz com que a vitória não dependa de erros dos outros competidores, mas sim de méritos próprios. “Acho que a expectativa é de que os adversários façam as melhores provas de suas vidas, como eu quero fazer. Não dá para contar com adversário vacilando e o primeiro passo para a derrota é esse: torcer para que façam provas ruins. Tudo pode acontecer, tem muita gente boa. Bastante surpresa deve acontecer na piscina, mas estou buscando meus melhores tempos”, comentou.

Desde a conquista do ouro em 2008, o brasileiro precisou se adequar às novas regras da natação, que em 2010 proibiu o uso dos maiôs de alta tecnologia. Cielo, no entanto, parece ter se adaptado bem à mudança, tanto que seu melhor tempo em 2012 – 21s38 – fica só um pouco abaixo da marca obtida na final dos 50 metros em Pequim – 21s30.

“A gente vem nadando sem o traje desde 2010, então não tem nada de novo agora. Para ser sincero, a sensibilidade é a mesma, treinamos de sunga como sempre. Na hora da competição estamos nos sentindo muito rápido, muito bem. No momento em que estamos nadando estamos tentando fazer o melhor”, declarou.