Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Chulapa programa beber cervejinha às 8h30 para ver Santos

Por Da Redação 13 dez 2011, 14h15

Desde os tempos em que era um trombador dentro de campo, Serginho Chulapa carrega um estilo simples e irreverente. Ele nunca se importou com o que as pessoas pudessem falar ao seu respeito. E irá continuar assim agora, aos 57 anos.

Por isso, promete reunir os amigos para acompanhar a estreia do Santos no Mundial de Clubes da Fifa, nesta quarta-feira, no Japão, contra o Kasiwa Reysol. O horário, 8h30 (de Brasília), pouco importa: haverá uma festa na Baixada Santista.

‘Vou ver o jogo junto com o pessoal antigo de Santos, com o Edu (outro ex-atleta santista). Vamos tomar uma cervejinha e acompanhar a partida’, comenta o ex-artilheiro, que não irá dispensar a bebida preferida por causa do horário. ‘O jogo é de manhã, não é? Ou você vem direito da noite, ou para de beber e depois continua logo cedo’, emenda.

Pela convivência que ainda tem no clube, Serginho Chulapa está confiante no sucesso do campeão da América. ‘O pessoal saiu com muita fé, tenho certeza de que farão um bom papel, o Santos tem tudo para chegar à final, para jogar com o Barcelona. A estreia sempre é complicada, mas gostei da confiança que o elenco tinha antes de viajar’, explica o antigo artilheiro, herói do título paulista de 1984, que também foi técnico e auxiliar na Vila Belmiro.

Na saída do Brasil, o grupo do Santos recebeu intenso carinho dos fãs, tanto no CT Rei Pelé como até na chegada ao Aeroporto de Cumbica. Serginho Chulapa acha importante os atletas terem consciência de que os torcedores confiam na equipe.

‘Foi legal a reação da torcida, para sentir o drama que todos vão passar aqui. Eu nunca joguei no Japão, sabemos que é uma viagem complicada, mas você vê o pessoal mobilizado lá também, o clima será muito bom’, aposta.

Nesta quarta-feira, o Santos entra em campo para o primeiro desafio no Mundial, portanto terá de superar a expectativa da estreia. Serginho Chulapa alerta para o perigo do ano passado, quando o Internacional era amplamente favorito diante do Mazembe, da República Democrática do Congo, e acabou eliminado.

‘Nada é fácil, você vê o exemplo do Inter no ano passado, mas o Santos está focado, independentemente do time que vier. Quando o Santos joga tudo o que sabe, é difícil ser batido’, avisou o ídolo santista, demonstrando confiança, inclusive, em uma possível decisão contra o Barcelona, considerado o principal esquadrão do mundo.

Continua após a publicidade
Publicidade